Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Conto das fadas

Na carta “Jardim linda em Antonina e sua jardineira”,(a) descrevi o recanto selvagem da Dona Mariche, naquela época (abril de 2015) o espaço mais encantador da zona urbana de Antonina.(b) Quando, em setembro de 2016, os herdeiros do jardim fizeram uma “limpeza”, as fadas do recanto levantaram voo em busca de outra moradia.

Fiquei bastante triste com o sumiço delas e iniciei uma grande busca pelos quatro cantos da cidade. Finalmente eu as reencontrei!

Descobri que uma das fadas, Monique, tinha se mudado para o pequeninissimo Parque Linear da Dona Sônia,(c) onde ela e Sônia estão conseguindo dar conta do recado. Todas as outras fadas estão num local bem próximo dali: o Beco das Flores, das primas Barbosa. Naquele local, devida à grande abundância de espécies e espécimes, ocorreu uma divisão de tarefas: cada fada cuida especialmente dos membros da sua família favorita de plantas.

Ás vezes, alguém me pergunta se é fácil de enxergar uma fada em atividade. Obviamente, isso depende da sua sensibilidade. Para alguns, como Márcia Széliga e Rien Poortvliet, é bem fácil e, assim, Márcia conseguiu pintar elas em detalhes e Rien dedicou um livro inteiro à vida destes e outros seres sobrenaturais. Márcia passou para mim a sua fórmula mágica: – Diga: Fada, livre-me dessa fadiga. Rien (1932-1995) costumava fumar até que saíssem da boca do seu cachimbo as fadas e os duendes que ele desejava descrever e ilustrar. Eu mesmo, que não sou bruxo nem fumante, busco-as do meu próprio jeito: vou sozinho, mantenho-me em silencio absoluto e aguardo, aguardo, até que começo a perder toda a vontade de sair, desejando criar raízes no belo recanto. Aí uma delas se mostra para mim, sim, sempre funciona!

(a) Carta publicado no livro “Cartas da Mata Atlântica”, Vol. I (pág. 356-358: a própria carta) e Vol. II (pág. 589-591: lista das plantas encontradas naquele jardim).
(b) O jardim ficava na Avenida Henrique Lage no 1312, bairro Pinheirinho, Antonina.
(c) Veja uma foto deste parque no meu website, na carta “Flores e frutos na metade do inverno”.

Veja mais em: https://www.andredemeijer.net/Leia a Carta na íntegra em PDF

Leia também
Comentários
Carregando...