Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

A alta carga tributária sobre os combustíveis

A alta carga tributária é hoje sem sombra de dúvidas um dos maiores problemas para o empresariado brasileiro.

A vinda da nota fiscal eletrônica e os programas de incentivo a emissão da nota fiscal por parte do governo, vem dificultando a sonegação fiscal e mostrando ao empresário o peso dos tributos em seus produtos: a sonegação fiscal sobre o combustível é em torno de R$ 4,8 bilhões por ano.

A gasolina é apenas um dos itens de consumo do brasileiro que tem sua carga tributária alta.

Conhecer a tributação é um grande passo para sabermos o custo de ser brasileiro, o Brasil precisa urgente de uma reforma fiscal justa para trabalhadores e empresários.

Sobre a tributação do combustível, vamos conhecer um pouco os principais tributos federais, que são PIS, Cofins, Cide e o principal estadual é o ICMS, mas não são os únicos, existem outros dependendo do regime tributário da empresa.

Dos tributos federais a Cide é de 2%, o PIS/Cofins varia entre 7% a 9%.

O tributo estadual é único, mas também o mais elevado, o ICMS que gira em torno 12% e 17% no etanol e 25% a 34% na gasolina, varia de estado para estado.

Dessa forma, a tributação fica em torno de 43% sobre a gasolina, 27% sobre o etanol e 28% sobre o diesel.

Mas e no bolso, como isso se representa:

Apenas para cálculo, vamos tomar como base um preço de R$ 4,50 o litro e um total de 50 litros.

Combustível Total pago % de imposto Imposto pago

  • Gasolina R$ 225,00 43% R$ 96,75
  • Etanol R$ 225,00 27% R$ 60,75
  • Diesel R$ 225,00 28% R$ 63,00

Ou seja, a cada 50 litros você dá pro governo a seguinte proporção;

  • Gasolina 21,50 litros
  • Etanol 13,50 litros
  • Diesel 14,00 litros

Cuide do seu patrimônio evitando multas e transtornos, procure sempre um Profissional Contábil.

Página no Face: https://www.facebook.com/pages/FATEL-Contabilidade/153676888120928

Leia também
Comentários
Carregando...