Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Toninha grávida encontrada morta em Itapoá

Foto: PMP-BS/Univille

Um golfinho da espécie toninha (Pontoporia blainvillei) foi encontrada morta em uma praia de Itapoá (SC), na terça-feira da semana passada. A equipe do Programa de Monitoramento das Praias da Univille (PMP-BS )foi até o local e verificou que era uma fêmea lactante, pois as glândulas mamárias tinham leite aparente.

No laboratório, os veterinários constataram a presença de um feto. De acordo com a equipe que realizou a necropsia, a toninha era adulta, media 1,5m de comprimento, e a partir das características observadas nos ovários, possivelmente era a primeira gestação.

Segundo o coordenador de pesquisa do Projeto Toninhas, Renan Paitach, a idade

estimada do feto é de quatro meses e meio. Era um macho, com aproximadamente 25 cm de comprimento.

A causa da morte da mãe foi afogamento e a toninha tinha marcas de emalhe em rede de pesca na região cervical. A captura acidental em redes de emalhe é considerada o maior problema de conservação da espécie.

A toninha é o golfinho mais ameaçado de todo Atlântico Sul Ocidental e no Brasil está em processo de extinção há mais de dez anos. A toninha é um dos menores golfinhos do mundo e faz parte de um grupo chamado de “cetáceos odontocetos”, ou seja, são mamíferos aquáticos que possuem dentes.

São bem tímidas, mostram apenas o rostro (bico alongado característico da espécie) quando vão respirar na superfície. Não saltam fora da água como outros golfinhos nascem medindo cerca de 70 cm de comprimento e chegam a medir 1,80 cm de comprimento na fase adulta. Vivem em zonas costeiras e estuários e alimentam-se de pequenos peixes e crustáceos.

A gestação da toninha dura em torno de 11 meses e elas têm um filhote a cada dois ou três anos. Sua coloração pode variar entre tons de marrom, cinza e amarelo. A idade máxima conhecida é de 21 anos.

Desde 2015, início do PMP-BS, foram encontradas 208 toninhas no litoral norte de Santa Catarina. Somente uma estava viva. Em 2018, até o momento, foram encontradas 17 toninhas mortas.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Caso aviste um animal debilitado ou morto na praia, em Santa Catarina ou no Paraná, entre em contato pelo número de telefone 0800-642-3341.

Leia também
Comentários
Carregando...