Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Operação Praia Limpa continua atrás de dois foragidos

Seis pessoas foram presas na Operação Praia Limpa, realizada pela Polícia Civil contra o tráfico de drogas em Matinhos e Pontal do Paraná, nesta terça-feira (4). Um mandado de prisão foi cumprido contra um preso. Duas pessoas estão foragidas.

Foram presos Dirceu Kilian de Paulo Fidelis, de 43 anos, Bryan de Amatino, 29, Kevin Roberto Dal Osto, 23, Vera Lucia Ribeiro, 38, Gustavo Luiz da Rocha Alencar, 27, Jânio Rogério dos Santos, 42. Alexandre Almeida da Silva, de 21 já estava preso. Estão foragidos Leandro Santos Silva, de 34 anos, e Sandra Mara Horning, de 42.

O delegado Rodrigo Brown, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) conversou com a equipe do site Massa News. Leia trechos da reportagem: “Nós infelizmente acompanhamos desde o final do ano passado um aumento no número de homicídios na região do litoral, e uma presença maior de traficantes dominando a área. Diante disso, iniciamos algumas operações lá, sendo as duas primeiras de buscas e apreensões, onde prendemos pessoas de menor porte no narcotráfico da região. Com isso conseguimos obter provas, indícios e informações que nos levaram a identificar três quadrilhas distintas”, explica o delegado Rodrigo Brown, do Cope.

As provas apreendidas durante as duas operações deflagradas pela Polícia Civil foram apresentadas ao juiz da Vara Criminal de Matinhos, que decretou as prisões preventivas. “São pessoas ligadas ao comando do narcotráfico da região, e na verdade essa operação seria realizada um pouco mais para a frente, com mais planejamento, mas infelizmente tivemos o fato trágico neste fim de semana, a morte estúpida e desnecessária de um policial civil da DHPP”, afirmou o delegado.  Sete mandados de prisão preventiva foram expedidos, sendo que cinco foram cumpridos durante a operação desta manhã e duas pessoas, de 34 e 42 anos, seguem foragidas. As outras duas prisões aconteceram durante a ação, sendo uma em flagrante e outra de um homem foragido do sistema penitenciário.

De acordo com Brown, a morte, provocada por um desentendimento do investigador com um traficante da região, foi determinante para a antecipação da operação, que mostrou a força da polícia. “Um traficante não pode fazer o que bem entender. Se atenta contra a vida de um policial, sabendo que ele é policial, o que ele não faria com pessoas normais, com trabalhadores e moradores da região?”, indagou. A decisão de adiantar a ação, porém, teria prejudicado a atuação policial, conforme o delegado. “Isso até prejudicou um pouco, pois a grande movimentação policial fez com que em outros endereços que buscamos não houvessem drogas e armas, os bandidos já suspeitavam que aconteceria uma ação em decorrência da morte, então acabou atrapalhando um pouco nas apreensões”.

Além disso, a operação também foi considerada pelo delegado um preparo para a Operação Verão, que está se aproximando. “É necessário que a polícia já faça ações preventivas uma vez que ficaria difícil posteriormente correr atrás desses traficantes com grande número de pessoas e aumento de ocorrências. Desde já a polícia vem mapeando as quadrilhas do litoral para que possamos garantir um verão mais seguro para a população e veranistas”, completou.

Os presos devem responder por tráfico de drogas, associação ao tráfico e, em alguns casos, por posse ilegal de munição de uso restrito. Equipes do Cope seguem em busca de dois foragidos.

Com informações Polícia Civil, Massa News e Simone Munhoz

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...