Boicote da Câmara e boato de renúncia paralisam Matinhos

    Prefeito Ruy Hauer entre o embate a renúncia – foto: Portal Viver Matinhos

    A recusa da Câmara de Vereadores em votar seus projetos poderá levar à renúncia do prefeito Ruy Hauer Reichert ou a um embate na Justiça.

    Em um resumo da crise publicada nesta sexta-feira (7) no Facebook, o editor do portal Viver Matinhos, Roberto Meissner, conta que a crise política começou quando vereadores solicitaram a demissão de dois secretários: Mirian de Fatima Zaninelli (Administração) e David Antonio Pancotti (Meio Ambiente).

    “O prefeito não acatou a solicitação alegando que são pessoas de sua extrema confiança e que faziam parte da gestão anterior”, conta Meissner. “A partir daí, criou-se um empasse entre os dois poderes, afetando diretamente a administração da cidade; Matinhos parou, tornando-se ingovernável”.

    Segundo mesmo relato, o presidente da Câmara, Gerson da Silva Júnior, está segurando desde fevereiro a votação de um projeto indispensável para Matinhos voltar a receber recursos federais não obrigatórios, inclusive de emendas dos deputados. Trata-se do Projeto nº 008/2017 que trata da Regulamentação do Pagamento da Previdência dos Servidores Municipais. “Este é apenas um exemplo de vários outros projetos que estão aguardando parecer da Câmara Municipal enquanto o município padece”, analisa.

    Ainda de acordo com Meissner, o prefeito está entrando com mandado de segurança na Justiça para que a Câmara vote o projeto em caráter de urgência. Ao mesmo tempo, informa, Ruy Hauer está tomando “importantes medidas que vão provocar uma revolução na administração do município, afetando inclusive a gestão passada”.

    Mas a opção da renúncia não está afastada na mente da população: “Diante dos fatos, o prefeito está contratando uma auditoria para os primeiros 90 dias do seu governo. É possível que após finalizada tal auditoria Ruy Hauer renuncie ao seu mandato, encaminhando para o Ministério Público eventuais irregularidades herdades da gestão anterior. Assumiria o comando do município a vice prefeita Drª Denise (a médica Denise Hizuru Iwamura), que segundo as conversas de bastidores estaria motivada e disposta a promover uma renovação total dos atuais cargos comissionados, chegando a quase 200 nomes. A partir daí formaria sua própria equipe de trabalho.”

    A primeira baixa da gestão Ruy Hauer ocorreu nesta semana com o pedido de exoneração do procurador do Município, Celso Malucelli, por não concordar com a pressão que o atual prefeito está recebendo”

    Comissões Especiais de Inquérito

    Na última sessão da Câmara, terça-feira (4), vereadores protocolaram um requerimento de Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar supostas irregularidades cometidas pelo prefeito, desde nomeações dos secretários Mirian e Pancotti, de nepotismo e na contratação da empresa que realiza a recuperação da orla.

    Ari Nomax – No embate com a Câmara, o prefeito ganhou a solidariedade de um antigo adversário político, o ex-vereador Ari Nomax, que disputou e perdeu para ele a eleição em 2016. Ele esteve na Câmara nesta terça e no final da sessão postou um vídeo no Facebook. Assista.

     

    Comente esta notícia