Justiça bloqueia bens de mais um ex-secretário de Antonina

    Alexandre Parodi – foto: Jornal dos Bairros

    A Justiça decretou a indisponibilidade de bens de duas empresas e cinco pessoas em Antonina – incluindo o ex-secretário municipal de Planejamento e Obras Públicas, Alexandre Parodi, (gestão 2013-2016).

    A liminar atende ação civil pública por ato de improbidade administrativa ajuizada pela 1ª Promotoria de Justiça da comarca.

    De acordo com a Promotoria, foram constatadas repasses de valores não justificados das empresas para o então secretário – “algumas transferências suspeitas chegam a quase R$ 40 mil”, informa o Ministério Público. “Foram identificados ainda 17 depósitos em dinheiro, efetuados pelo próprio investigado, em contas de sua titularidade que, somados, chegam a cerca de R$ 65 mil”.

    “Da acurada análise dos elementos produzidos durante a investigação, verifica-se que os comportamentos adotados pelos requeridos permitem visualizar, acima de qualquer dúvida razoável, a prática de atos que, para além de violadores de princípios fundamentais da Administração Pública, ensejaram o enriquecimento ilícito de (…) em razão das funções desempenhadas junto ao Município de Antonina”, considera a Promotoria.

    Paulo Celso Leamari Castro e Domero (esq.) – Foto ANPr/JB

    Meio Ambiente – No início de março, a justiça decretou o bloqueio dos bens do ex-secretário municipal de Meio Ambiente e Agricultura, Paulo Celso Leamari Castro e do proprietário da empresa de contratada pelo Município para tratamento de resíduos sólidos. Segundo a Promotoria, investigação também apontou pagamentos da empresa ao secretário.

    Saúde – No final de março, foi decretada a indisponibilidade de bens do ex-secretário municipal de Saúde, José Luiz Gonçalves Velloso, e da empresa de transporte coletiva da cidade. Da mesma forma, a Promotoria afirma que houve depósitos da empresa na conta bancária particular do secretário.

    José Luiz Gonçalves Velloso – foto: Rede social

    Mensalinho” – O ex-prefeito de Antonina, João Domero, também está sendo investigado pelo pagamento de mensalinhos a vereadores para garantir maioria na Câmara, entre outras irregularidades apontadas pela 1ª e 2ª Promotorias de Justiça.

    Comente esta notícia

    comentários