Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Chuvas: Guaratuba responde com rapidez e solidariedade

Em menos de 24 horas choveu em Guaratuba cerca de dois terços do que era esperado para o mês de fevereiro inteiro. De sexta-feira ao meio dia de domingo (17) foram 196, dos 294 milímetros de média para o mês. As pancadas de chuva mais fortes coincidiram com a maré alta, na manhã de domingo até às 14h30.

O resultado foi que praticamente a cidade toda teve alagamentos. Em alguns trechos dos bairros Carvoeiro e o Cohapar II a água cobriu a metade da altura das casas, mas mesmo assim algumas pessoas se recusavam a abandonar o local.

Por isso, a estatística de desabrigados é incompleta. De acordo como a Secretaria do Bem Estar e Promoção Social, até as 18h, 43 famílias e 140 pessoas haviam procurado o abrigo montado no Ginásio de Esportes José Richa. Eles foram recebidos por profissionais de saúde da Prefeitura. As crianças tinham o apoio de psicólogos, professores e educadores além de estudantes de magistério do Colégio Gratulino de Freitas.

O prefeito Roberto Justus percorreu bairros para avaliar os estragos e entregar alimentos e roupas a quem estava isolado. Conversou com muita gente que não queria deixar sua casa abandonada apesar de ainda estar com água dentro. Também se comoveu com o gesto de muita gente a quem, exemplifica, era oferecida duas latas de leite em pó, mas ela dizia que apenas uma era suficiente. “As pessoas não pegavam mais do que consideravam necessário”, contou Roberto à reportagem, no início da noite, logo que desceu do carro, molhado, de bermuda e chinelo.

O prefeito disse que não chegou a ficar surpreso, mas se emocionou com a presença de tantos funcionários e outros voluntários que foram ao ginásio ou às ruas ajudar quem precisava e também com as doações que não paravam de chegar. “O guaratubano mostrou mais uma vez o quanto é solidário”, disse, enquanto, ao lado da mulher, Flávia Foccacia Justus, ajudava a organizar algumas peças na montanha de roupas. Já havia muito agasalho, cobertas e colchões quando chegaram, de Curitiba, duas vans do Provopar com mais donativos e o prefeito foi ajudar a retirar os produtos.

Também foram doados alimentos e produtos de higiene. Uma casa de assados deu 20 frangos prontos e a uma panificadora, centenas de pães. Mas de acordo com o relações públicas Amilton Lepchack, a maioria das doações veio de pessoas pobres. Ele se ofereceu, pelas redes sociais, como voluntário para buscar de carro as doações e andou por toda a cidade. “Muitas pessoas diziam que já haviam precisado de ajuda durante alguma chuva e agora estavam retribuindo”, contou.

No resto da cidade, bombeiros, policiais Defesa Civil e cidadãos também se mobilizaram para retirar pessoas de casas, muitas delas em canoas.

No ginásio de esportes, por volta das 21h de domingo, ainda faltavam produtos de higiene quando a maioria dos voluntários começaram a deixar o local. Em cima de colchões espalhados pelo chão e em meio a muitas cobertas, as mães e pais abrigados chamavam as crianças e tentavam acabar com as brincadeiras. As bolas de futebol foram recolhidas em um canto. Um cachorrinho foi acalmado para fazer silêncio.

No dia seguinte, esta segunda-feira (18), todos sabiam que teriam muito trabalho pela: voltar para casa se fosse possível e reconstruir o que foi perdido. A mesma tarefa terão as equipes da prefeitura que passaram o domingo levando alimentos e no levantamento dos estragos e na adoção das medidas mais emergenciais.

Ponte do Cubatão – Na área rural, a ponte sobre o rio Cubatão, felizmente, não foi levada pela enxurrada, como se temia devido às imagens em que ela estava submersa, mas ficou bem estragada.

Em virtude do atraso na construção da nova ponte – cujo prazo atual é de mais dois meses para ficar pronta – a Prefeitura já havia programado um reparo para esta semana. Terá de fazer mais do que um simples remendo.

O serviço começou a ser feito logo pela manhã.

Na manhã de segunda-feira (18), ainda havia muitas famílias desalojadas e ilhadas. A equipe da Prefeitura solicitava a doações dos seguintes produtos:

Alimentos não perecíveis
Água mineral em garrafa
Material de limpeza
Material de higiene pessoal
Colchões
Cobertores
Travesseiros
Roupas
Fraldas

Todas as doações deverão ser entregues no Cras da avenida 29 de Abril, das 8h30 às 16h30.

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...