Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Secretário de Obras de Guaratuba mostra ações contra alagamentos

O secretário de Obras de Guaratuba, Mário Edson Fischer, começou sua explanação na Câmara de Vereadores, na noite desta segunda-feira (18) apresentando-se: “filho de um funcionário público (Edson Fischer) que durante 27 anos ocupou o cargo de secretário da Administração (da Prefeitura de Curitiba) e filho de uma professora”.

Ele próprio foi sub-chefe da Casa Civil e chefe de Gabinete do ex-governador Jaime Lerner, além de presidente do Celepar (Companhia de Informática do Paraná) e secretário de Estado da Integração Regional.

Ao fazer a apresentação pessoal projetou no telão uma foto sua em preto e branco na praia: “Aquele polaquinho simpático sou eu, em 1965. (Mostro) isso para dizer que desde os dois anos de idade eu frequento Guaratuba…” Mário Edson explicou que contou isso tudo porque acompanhou várias sessões da Câmara e ouviu muitos comentários a seus respeito, entre eles, o de que não conhecia a cidade e que precisava de um GPS para se orientar dentro do município.

O “polaquinho simpático” na praia, desde os dois anos em Guaratuba. Na primeira imagem, o pedestal da estátua do Cristo pichada

Na apresentação propriamente dita que os vereadores esperavam e pela qual o convocaram ainda comentou que “seu GPS é Gente da Prefeitura que Sabe”, se referindo aos funcionários da Secretaria. A soma de anos de vivência em Guaratuba dos 11 chefes e encarregados de sua equipe chegou a 401 anos, uma média 36 anos e 5 meses de Guaratuba.

No tempo disponível de 10 minutos, o secretário apresentou um resumo das ações em 2018 e mostrou a infraestrutura que dispõe. De acordo com o secretário, há um ano e meio, contava com apenas 1 patrola, 3 retroescavadeiras e 2 caminhões. Hoje, conta com 4 patrolas, 4 retroescavadeiras e 5 caminhões, nesses itens. A frota completa à disposição inclui 1 pá carregadeira, 1 rolo compressor, 1 prancha, 1 máquina de pintura, 1 caminhão cesto, 5 veículos pequenos e 2 kombis.

O secretário também apresentou um resumo das obras e da pavimentação de ruas da gestão do prefeito Roberto Justus, com investimentos de aproximadamente R$ 4,4 milhões e R$ 7,3 milhões, respectivamente.

Drenagem do solo: dificuldades e soluções

Em relação aos alagamentos, o secretário apresentou um mapa dos pontos de saída de água na baía e no mar, incluindo rios, córregos e canais. Também mostrou os três pontos de estrangulamento na drenagem: na rua Guanabara, no bairro Coroados, onde a Prefeitura trabalha há duas semanas para solucionar os problemas dos canais de drenagem, “que vai exigir muito mais envolvimento da comunidade, porque não é simplesmente limpar valeta”, segundo afirmou; na rua Clevelândia, onde a abertura da avenida Paraná criou um ponto de acúmulo de água; e na região entre o Piçarras e Cohapar, nas sub-bacias dos rios do Paus e Carvoeiro, onde foram construídas casas em cima dos rios.

De acordo com a apresentação, diversos fatores contribuem com os alagamentos e dificultam sua solução como a situação geográfica e topográfica do município entre a baía e o oceano, o aumento das chuvas, lixos jogados nos canais, interrupção de canais e colocação de manilhas inadequadas por munícipes, construções nas margens dos canais e rios, entre outros. “Quando a maré sobe, a água não tem pra onde ir”, comentou.

Algumas das ações relacionadas a drenagem que a Secretaria realizou em 2018:
Manutenção de ruas: 668
Colocação de manilhas: 2.832
Confecção de travessias com manilhas: 164
Confecção de bocas de lobo: 127
Manutenção de canais de macro e micro drenagem: 13.450 m

Segundo o secretário, diversas ações vêm sendo feitas de forma cada vez mais intensificada em virtude do aumento da infraestrutura:
Manutenção e readequação das saídas das águas pluviais para a praia e baía
Intensificação da fiscalização para evitar depósito de entulhos nas valas
Atualização e reavaliação do projeto de macro e micro drenagem do município
Confecção de travessias na avenida Paraná
Confecção de travessias na avenida Visconde do Rio Branco
Aquisição ou locação de equipamento para manutenção de galerias subterrâneas

Mário Fischer respondeu questionamentos dos vereadores e afirmou que, além de contar agora com maior número de máquinas, a Secretaria vai licitar material para colocação em ruas e vai retomar diversas ações planejadas que são mais difíceis de fazer durante a temporada de verão, que coincide com o período de chuvas.

Leia também
Comentários
Carregando...