Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Mutirão na baía mobiliza centenas de pessoas em Guaratuba

O prefeito Roberto Justus abriu a Semana Socioambiental do Litoral Paranaense, no dia Mundial do Meio Ambiente, quarta-feira, 5, em plena Faculdade Isepe, atacando a hipocrisia de quem cobra dos outros o que não pratica. Falando de meio ambiente, criticou quem defende a preservação ambiental mas não toma nenhuma atitude a favor.

No sábado (8), antes da largada do 12º Mutirão de Limpeza da Baía de Guaratuba, Roberto estava cercado de pessoas dispostas a fazer algo de prático e pode comentar que a preocupação com o meio ambiente, cada vez mais, une as pessoas da cidade.

Ao lado do prefeito, o coordenador do evento, Fabiano Cecílio da Silva, diretor executivo do Instituto Guaju, comentou que a ação, no Dia Mundial dos Oceanos, foi o encerramento de uma semana que mobilizou centenas de pessoas em palestras, apresentações para estudantes, entrega de material escolar para coletores de recicláveis, coleta de resíduos eletrônicos e em uma corrida noturna na orla.

500 voluntário e 30 embarcações

Nesta edição do mutirão, além do número crescente de instituições de Guaratuba, do Litoral e de Curitiba, participaram cerca de 500 voluntários, inclusive estudantes da UFPR Litoral que residem em Matinhos e moradores de outras cidades.

O ferry boat da concessionária da travessia serviu de base para toda ação, desde o preparo do lanche de linguiça assada com pão para os voluntários até para o transporte do caminhão onde era colocado o lixo.

Aproximadamente outras cerca de 30 embarcações levavam e traziam as pessoas e carregavam o lixo recolhido até a base. No comando de uma delas, um pequeno barco de alumínio, estava o professor de filosofia Edgar Fernandez. As primeiras pessoas transportadas pelo professor Edgar, foram as amigas Ellen Priscila, Ana Lívia e Ana Carolina. Elas desembarcaram bem cedo na Ilha dos Ratos.

Em seguida, o professor levou até a Ilha da Pescaria o técnico em sa~ude bucal da Prefeitura de Guaratuba Itamar dos Santos, sua namorada Bruba Yamaguchi, fisioterapeuta da Prefeitura de Tijucas do Sul, e o pai dela, Kazuo Yamaguchi, aposentado e morador de Curitiba. Quando chegaram na ilha já havia uma dezena de pessoas coletando lixo que carregaram o barco do professor de lixo. Mas, em menos de uma hora, eles trouxeram três sacos cheios de resíduos. Ficaram impressionados pelo fato de tamanha quantidade de lixo tenha sido provavelmente jogado em apenas um ano, desde o último mutirão.

Pequena aventura náutica

Depois de levar o trio à ilha e o lixo ao ferry boat, foi a vez de, no caminho até Caieiras para buscar o resultado da coleta das crianças do “Amigos do Mar” – outro projeto do Instituto Guaju – conferir se as amigas deixadas na Ilha do Rato não haviam pego outra carona na movimentada baía em dia de mutirão.

Quando chegamos à Ilha, elas acabavam de embarcar em uma lancha conduzida pelo secretário de Pesca e Agricultura de Guaratuba, Cidalgo Chinasso e pela procuradora fiscal do Município, Fernanda Monteiro, e onde também estava o prefeito Roberto.

Foi o começo de um pequeno incidente, uma aventura náutica vivida com bom humor. A lancha ficou presa nas pedras e o prefeito foi que se dispôs a descer para empurrar. Depois da lancha solta, o motor falhou. O professor aproximou seu barco para rebocar a lancha, mas o pequeno motor de popa também pifou.

A essa altura o prefeito estava ilhado, com dificuldade o barco tentava resgatá-lo com auxílio de remos e a lancha ia à deriva em direção ao canal do ferry boat. O perigo não durou muito. Uma dupla de pescadores esportivos acudiu aos pedidos de ajuda, resgatou o prefeito e rebocou as duas embarcações. Logo surgiram mais dois barcos para completar os resgate e liberar os pescadores para seu lazer. Os demais seguiram no mutirão.

Guarás em bandos

Membro do Instituto Guaju e apaixonado pela natureza, o professor Edgar Fernandez está concluindo um livro sobre os guarás na baía de Guaratuba em parceria com Fabiano Cecílio e Marcos Wasilewski. No meio do serviço de transportar os voluntários e carregar o lixo recolhido, levou o repórter para ver alguns bandos de guarás. Avistamos centenas de aves e algumas dezenas de guarás na distância que os perigosos baixos que cercavam as Ilhas do Guarás e outras permitiram. Conseguimos fazer algumas fotos, veja:

No final do mutirão, a tripulação do ferry boat deu uma mostra de competência ao encostar a imensa e pesada embarcação em um delicado canto do embarque no antigo mercado. Na pilotagem estavam pai e filho: Marcos e Gabriel Lima. Confira a imagem da dupla o do restante da tripulação.

No 12º Mutirão de Limpeza da Baía de Guaratuba, foram coletados cerca de 7 toneladas de lixo nas ilhas e margens da baía, incluindo manguezais e baixios de difícil acesso. A maioria dos resíduos eram garrafas e outros produtos de plástico ou isopor, mas também foram recolhidos um fogão, um sofá e duas geladeiras. Será feita a triagem do material e parte será destinado à Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Guaratuba– Acamares Pôr do Sol.

Pontal do Paraná e Ilha do Mel – O Dia Mundial dos Oceanos inspirou diversas ações de recolhimento de lixo no Litoral do Paraná. Em diversos balneários de Pontal do Paraná (Praia de Leste, Santa Terezinha, Ipanema, Leblon e Pontal do Sul) e duas praias da Ilha do Mel houve mutirões de limpeza. Segundo a ONG Parceiros do Mar, que coordenou a ação, foram percorridos 13 quilômetros de praias e coletados 350 kg de resíduos.

Fotos: Karini Borges, Debura Aquino e Gustavo Aquino – Texto: Correio do Litoral e Prefeitura de Guaratuba
Leia também
Comentários
Carregando...