Aumenta população e crescem demandas nas praias do Paraná

    Imagem do Google mostra o crescimento de Guaratuba na periferia, muitas vezes pela invasão de terrenos.

    Quatro cidades do Litoral tiveram crescimento bem acima da média no Paraná no último ano: Pontal do Paraná, Matinhos, Guaratuba e Paranaguá.

    Um município segue encolhendo: Guaraqueçaba; Antonina fica estagnada; e Morretes cresceu quase na média do Estado, que foi de 0,4%.

    Os números de todo o Brasil foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no dia 30 de agosto e compara a população entre 2016 e 2017. No Paraná, houve diminuição do número de habitantes em 155 municípios. Se referem à estimativa para o dia 1º de julho de 2017.

    Serviços e infraestrutura

    Pontal do Paraná lidera a lista das três cidades de praias que tiveram aumento populacional muito acima da média. É a terceira cidade do Estado que mais cresceu. Matinhos, a 21ª; Guaratuba, a 34ª.

    Se a estagnação populacional de Antonina e o encolhimento de Guaraqueçaba revelam a piora econômica e as transformações sociais, o aumento populacional nas praias não representa automaticamente desenvolvimento. As três cidades vivem um inchaço nas periferias, com invasões de áreas de preservação – Pontal menos, porque parte do crescimento é em virtude do crescente setor industrial portuário.

    A consequência é o aumento das demandas por serviços públicos e infraestrutura. Guaratuba, por exemplo, tem uma malha viária gigantesca para seus 36 mil habitantes e ela aumenta a cada nova invasão, com ruas abertas durante as madrugadas.

    Ainda há o aumento da demanda por saúde, educação e emprego e a piora das condições de segurança. Crescem os desafios para os gestores municipais e para o governo estadual, indispensável nestas cidades que recebem paranaenses de todas as cidades – como se vê, não só para o veraneio.

    FPM não muda – A estimativa oficial do IBGE serve como base de cálculo para a distribuição do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), importante fonte de receita para as sete cidades do Litoral. No entanto, nem isto dá para comemorar: segundo a Associação dos Municípios do Paraná (AMP), nenhuma das cidades da região terá mudança no seu índice.

    Comente esta notícia

    comentários