Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Guaratuba coíbe caça e pesca no Parque da Lagoa do Parado

A Prefeitura de Guaratuba realizou, na manhã desta quarta-feira (11), uma ação no Parque da Lagoa do Parado. O local é uma unidade de conservação de proteção integral e fica a duas horas de barco do centro da cidade, baía acima.

Durante a fiscalização realizada pelo analista ambiental Anderson Marlon Grasel e pelo supervisor de serviços Renato Borba Carneiro Júnior, ambos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, foram apreendidos petrechos de pesca predatória. Também foram inutilizados alguns acampamentos que servem de abrigo para pessoas pescarem e caçarem.

A equipe abordou duas pessoas no local, que foram orientadas sobre a proibição da caça e pesca no local, que são crimes ambientais por ser uma Área de Proteção Especial. A Secretaria do Meio Ambiente informou que são realizadas ações de fiscalização rotineiramente na região.

O conhecido “Parque Natural Municipal da Lagoa do Parado” é uma Área de Proteção Especial declarada de utilidade pública (Decreto Municipal n°1626/96), mas ainda não foi instituído formalmente como parque. Ocupa uma área de 5 km de comprimento por 3 km de largura em um dos lados e uma área de 2.048,554 hectares dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guaratuba. Fica na margem esquerda do rio Cubatãozinho e ao lado do Parque Nacional Saint-Hilaire / Lange. Faz parte do mosaico Lagamar de unidades de conservação.

A lagoa do Parado é formado em um alargamento do rio Parado (também conhecido como rio Alegre) que recebe águas de riachos que vêm da Serra do Mar e formam um grande espelho de água em meio à vegetação. Em épocas de seca, a área alagada se divide em duas lagoas, denominadas de lagoa das Onças e do Baguary.

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...