Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Desembargador suspende medida que restringia turismo em Guaratuba

O desembargador José Maurício Pinto de Almeida, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná, suspendeu, temporariamente, a proibição de acesso às praias, rios e à baía em Guaratuba, uma das principais medidas que tentava evitar a ida de turistas à cidade.

A decisão liminar, concedida nesta terça-feira (14), atende pedido de habeas corpus feito por Luis Otavio Dal Lago, que moveu uma ação criminal contra o prefeito Roberto Justus. No decreto 23.337, de 4 de abril, Justus proibiu o acesso aos atrativos turísticos, entre outras medidas de enfrentamento ao coronavírus.

Na semana passada, nove empresários e aposentados ricos de Curitiba e Região Metropolitana entraram na Justiça para poderem passear no município com seus iates e lanchas durante os feriados e finais de semana. A juíza local, Giovanna de Sá Rechia, negou o pedido e defendeu as medidas em favor da saúde pública.

Em um vídeo, o prefeito comentou essa nova decisão: “Como ser humano, não consigo admitir que exista pessoa totalmente alheia a esse flagelo todo que estamos vivendo de desemprego, de fome, de mortes, e está preocupado em ‘fazer praia’ no feriadão, passear de jet ski, passear de bicicleta, caminhar no calçadão, como se tudo estivesse na mais perfeita normalidade”, desabafou. “Isso me envergonha enquanto ser humano, isso me constrange, ainda mais quando tem o amparo de um desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná”.

“Sigo ao lado dos prefeitos de Matinhos, de Pontal do Paraná, do Rio de Janeiro, de Florianópolis, enfim, todos os prefeitos do litoral do nosso país que tomaram essa medida, sabedores e que praias abertas são atrativos para turistas, estimulam a circulação de pessoas e aumentam a população das nossas cidades”, explicou Justus.

Roberto Justus também disse que não vai baixar a guarda. “Vamos protocolar os nossos recursos e, com certeza, vamos derrubar essa decisão”, afirmou. Também fez um apelo: “Peço apenas, enquanto essa decisão estiver em vigor, à população de Guaratuba e à população do Estado do Paraná para que fiquem em casa, não vão às praias, não coloquem a vida de suas famílias em risco” afirmou.

Leia também
Comentários
Carregando...