Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Mulher foi morta em Pontal por não concordar com golpe, diz Polícia

Laiane Priscila foi encontrada morta na restinga, no balneário Beltrami

A Polícia Civil do Paraná concluiu o Inquérito Policial que apurou o homicídio de Laiane Priscila Antunes da Rosa, de 33 anos, ocorrido no dia 13 de abril deste ano. Seu corpo foi encontrado na orla, em meio à restinga, no balneário Beltrami, em Pontal do Paraná.

Uma mulher de 32, e um homem, de 26, foram apontados como os principais suspeitos do crime. A suspeita foi morta no início de junho.

As investigações se iniciaram logo após o corpo de Laiane ter sido encontrado na orla de Pontal do Paraná com várias perfurações na região lombar e pescoço. Em primeiro momento o corpo da vítima não foi identificado, pois estava sem documentos, sendo encontrado apenas um cartão de banco – em nome de um homem. Com o cartão, os policiais civis chegaram até um senhor que conhecia a vítima e ajudou nas investigações.

“Durante o inquérito foram produzidos diversos relatórios, depoimentos foram colhidos e através de um celular apreendido e seu acesso liberado pelo Poder Judiciário foi possível a identificação dos dois autores”, informa a Polícia Civil.

Após a identificação, foi solicitado um mandado de prisão, que foi expedido pela Justiça. O homem foi preso durante no dia 24 de abril, em Londrina, Norte do Estado. Para capturar a mulher foram realizadas diversas diligências, até que a Polícia recebeu a informação de que a mulher foi encontrada morta e com sinais de crueldade, no dia 3 de junho deste ano, em Florianópolis, em Santa Catarina.

Motivação – “Conforme apurado, a suspeita do crime era uma colega próxima de Laiane e o homem era namorado dessa amiga. Os dois indivíduos estariam planejando um golpe contra o senhor – o qual o cartão foi encontrado junto ao corpo de Laiane – a vítima não concordava com os dois, por isso decidiram matá-la”, relata a Polícia.

“A mulher teria desferido 33 facadas com degolamento enquanto o namorado segurava Laiane. A suspeita já respondia por um crime de homicídio, ocorrido em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, e fazia uso de tornozeleira eletrônica, sendo comprovado que a mesma retirou o equipamento para executar o crime contra Laiane.”

 

Leia também
Comentários
Carregando...