Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Jornal de Guaratuba vê como o asfalto muda a vida das pessoas

Ouça a notícia

Pavimentação traz vida nova e incentiva melhorias

Ari e Gedalva e a calçada “faltando um arremate”.

Jornal de Guaratuba – Seu Ari terminou de construir a calçada na frente da sua casa na quarta-feira (23), junto com a conclusão do asfalto na sua rua. “Falta só um arremate”, foi se explicando. A rua estava recebendo a última camada de asfalto, mas também ia ficar faltando um arremate: a pintura das faixas, que será feita nos próximos dias.

Ari Oswaldo Saporski mora desde 1970 na rua Ivaí, no bairro Piçarras, e disse que nem tinha palavras para expressar sua satisfação com a obra iniciada há pouco mais de um mês. Mas sua esposa, Gedalva Ribeiro, tinha: “Uma benção de Deus, que a gente ouviu prometerem há mais de 30 anos”.

A pavimentação asfáltica na rua Ivaí compreende um trecho de duas quadras, com 243 metros, entre a avenida Damião Botelho de Souza e a rua Joinville e inclui a execução de drenagem pluvial com colocação de bocas de lobo, meios-fios e pintura.

A obra foi licitada junto com um trecho da rua Tocantins. No cruzamento das duas ruas que estão sendo asfaltadas, mora o casal Ana Maria Travassos e Alirio Teodoro. Dona Ana Maria fez questão de contar a idade para dizer que mora no bairro desde que nasceu, há 61 anos. Ela confirmou que a promessa da obra é antiga e que foi renovada há quatro anos: “A diferença é que esse último que prometeu, agora fez”, disse, dando um leve soco na palma da mão.

Ana Maria e Alírio: “Este último agora fez”.

Na rua Tocantins, o asfaltamento também foi feito em duas quadras, com uma extensão de 264 metros entre a avenida Damião Botelho e a rua João Gualberto, terminando em uma das duas desembocaduras do rio Carvoeiro na baía de Guaratuba.

Uma moradora da Tocantins, dona Maria Clarinda de Oliveira, que vive há 60 anos ali na região resume a importância do asfalto. “Era tudo o que a gente pedia”, disse. Seu filho, Gilberto de Oliveira, que há 46 anos nasceu na casa onde eles moram, a obra vai melhorar tanto as condições de tráfego da rua que ele já está preocupado com a velocidade com que os carros vão passar por ali. O asfalto ainda estava secando e ele já está reivindicando a colocação de lombadas na rua.

As três famílias mostram como a pavimentação muda a vida das pessoas em uma pequena região próxima ao Centro e perto da baía, ocupada por moradias há muitas décadas. Antigamente era onde ficava a serraria do ex-prefeito Aldo Abagge. Hoje tem várias marinas e casa de luxo nas proximidades, mas as duas ruas ainda são habitadas principalmente por moradores antigos, que já sofreram com enchentes, lama e poeira e agora se animam a fazer calçadas e outras melhorias.

Rua Ivaí recebia a última camada de asfalto na quarta-feira (23).

Asfalto também traz saúde, comenta seu Airton

Não muito longe dali, também no bairro Piçarras, seu Airton Pitz resume assim a importância da obra na rua Juvevê, que está começando: “O asfalto é limpeza e é saúde”. Ele mora justamente na esquina da Juvevê com outro trecho da rua Ivaí, perto do Mercado Ivaí, e diz que está há mais de 20 anos esperando o asfalto. Toda a obra consiste em pavimentação, drenagem, colocação de bocas de lobo meio-fio e pavimentação asfáltica em 707 metros entre as avenidas Água Verde e Mafra.

Pronto Socorro – O outro trecho de rua do mesmo contrato também representa melhorias na saúde, como lembrou seu Airton: serão asfaltados 357 metros da rua Menelau de Almeida Torres, entre as ruas José Nicolau Abagge e Plínio Tourinho.

A obra consiste em nova pavimentação, execução de drenagem pluviais, meios-fios e pintura, “objetivando maior durabilidade na pavimentação e melhor fluxo de veículos”. Os veículos citados são nada menos que as ambulâncias que saem e entram do Pronto Socorro Municipal por onde passa a obra. Além do asfalto novo em lugar dos bloquetes, as três quadras da rua vão ganhar mais 2 metros de largura e ficarão com 10 metros na pista de rolamento.

Os bloquetes que serão retirados, serão reaproveitados em pequenos trechos nas proximidades, como dois que ainda não estão pavimentados na rua Berilo da Cunha Padilha.

Manilhas vão melhorar drenagem e reduzir alagamentos

A colocação de manilhas de 1,5 metro de diâmetro na avenida Rui Barbosa vai melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas que vivem e circulam pelos bairros Piçarras, Cohapar e Carvoeiro.

Para Marciel Recktenvald, que tem 29 anos de idade e mora há 18 na Rui Barbosa, a colocação das manilhas vai acabar com a valeta a céu aberto em frente de casa, com o mau cheiro e a presença de ratos, baratas e “até cobra”.

Mas a obra vai ter um impacto grande em uma ampla região. A valeta da casa de Marciel é um dos principais canais de macrodrenagem de Guaratuba que foram construídos há muitos anos para permitir o escoamento das águas das chuvas e evitar alagamentos.

Estes canais continuam cumprindo a função, mas sofrem com a constante erosão. A colocação de manilhas vai evitar esta erosão e melhorar o escoamento das águas pelo canal. As obras na avenida Rui Barbosa devem se estender por aproximadamente 2,5 quilômetros.

Leia também
Comentários
Carregando...