Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Cultivo do maracujá cresce na agricultura familiar de Guaratuba

Semeadura foi feita com ajuda dos próprios agricultores – foto: Jornal de Guaratuba

Com apoio de equipes da prefeitura, agricultores familiares semearam mais 21 mil mudas de maracujá que serão plantadas em pequenas propriedades de pelo menos nove localidades rurais.

Em 2019, foram plantadas 12,5 mil mudas por aproximadamente dez famílias que já estão produzindo e comercializando o produto. Uma das vendas foi feita para o próprio Município no Programa Emergencial Compra Direta Paraná, para atender a população vulnerável através de entidades assistenciais durante a pandemia do coronavírus.

O incentivo à produção de maracujá começou em junho do ano passado, quando o técnico agrícola do município Dagoberto da Silva apresentou as vantagens do cultivo em uma reunião na localidade do Riozinho. O projeto foi uma iniciativa da prefeitura e do antigo Emater, atual Instituto do Desenvolvimento Rural (IDR), do governo estadual. “O maracujá produz seis meses depois de plantado e cada pé rende durante 2 ou 3 anos e um hectare (ha=10.000 m2) pode render anualmente entre 14 e 20 toneladas do fruto”, explicou o técnico Dois meses depois, em agosto daquele ano, foram semeadas as mudas que foram plantadas em novembro.

Semeadura

Nas últimas duas semanas, com a participação dos próprios agricultores, foram produzidas novas mudas no Horto Municipal. Depois de crescerem por uns 40 dias e passar pelo período de climatização, as mudas elas já poderão ser plantadas no solo.

Na sexta-feira (25) foram plantadas 13 mil sementes por produtores das localidades de São Joãozinho, Descoberto, Rio de Cedro e Rio do Saco. Nesta sexta (2), foram mais 7,5 mil que irão para agricultores do Riozinho, Itinga, Morro Grande e Cubatão. Outras 500 mudas serão semeadas e destinadas à localidade de Limeira.

“O maracujá é um produto rentável e de fácil cultivo. Mesmo com a redução do preço por causa da pandemia para R$ 6,00 o quilo, um hectare pode render mais de R$ 100 mil por ano”, afirma Dagoberto Silva. Normalmente, um hectare rende anualmente entre R$ 120 mil e R$ 150 mil”, completa.

A partir de 2021, a produção de maracujá da agricultura familiar de Guaratuba também será adquirida pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do Ministério da Educação, e irá para a merenda das escolas. Acompanhe na próxima edição do Jornal de Guaratuba, mais detalhes sobre a entrada dos agricultores familiares de Guaratuba no PNAE.

Projeto começou em 2019

Produtores que plantaram primeiras mudas estão produzindo – foto de arquivo 4/11/2019

Fonte: Jornal de Guaratuba

Leia também
Comentários
Carregando...