Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Expedição Rota Caiçara conclui percurso de 430 km de bicicleta

Fotos: Felipe Roehrig

A Expedição Rota Caiçara de Cicloturismo acabou sendo concluída por cinco voluntários, dos seis previstos inicialmente, e percorreu 430 quilômetros no Litoral do Paraná, 90 a mais do que estava programado. 

A missão fez parte do projeto de extensão Cicloturismo e Turismo de Base Comunitária, do curso de Gestão de Turismo da UFPR Litoral, e durou 8 dias. O grupo partiu da UFPR, em Matinhos, e terminou na mesma cidade, depois de passar por todos os municípios litorâneos do Paraná e, de quebra, por uma cidade catarinense, ao pé da Serra do Mar.

O grupo levantou informações turísticas das sete cidades: Matinhos, Pontal do Paraná, Paranaguá, Guaraqueçaba, Antonina, Morretes e Guaratuba. Particularmente, a rota incluiu duas ilhas: Ilha do Mel (Paranaguá) e Superagui (Guaraqueçaba); e algumas localidades rurais, como Tagaçaba (Guaraqueçaba), Limeira e Cubatão (Guaratuba) e trecho do município de Garuva (SC). 

“Em um primeiro momento, o foco do mapeamento em campo foram as infraestruturas da rota para o cicloturista. Também buscamos destacar a importância do engajamento das comunidades por onde o trecho da Rota Caiçara irá passar. Isto porque um dos objetivos da implementação do projeto é incentivar o turismo de base comunitária na região, destacando os saberes dos territórios tradicionais do litoral paranaense, juntamente do meio ambiente no qual estão inseridos”, afirma Felipe Roehrig Pacheco, um dos ciclistas do projeto.

Os organizadores pretendem realizar mais uma expedição para levantamento de dados nos municípios e junto às comunidades. Serão realizadas capacitações dos anfitriões, sinalização do trajeto, desenvolvimento de material de divulgação. Na sequência será marcada uma viagem de inauguração da Rota. A previsão é que o roteiro fique pronto para os turistas até o primeiro semestre de 2022.

Pandemia

A expedição estava inicialmente agendada para 2020, mas foi adiada várias vezes devido à pandemia da covid-19. Durante o período no campo, os voluntários seguiram os protocolos de biossegurança, com número de participantes reduzido, evitando aglomerações e locais fechados e usando máscaras e álcool gel.

“A primeira Expedição Rota Caiçara funcionou de forma totalmente colaborativa, tendo participantes de diversas áreas de estudo, sendo assim ocorreu com uma rica interdisciplinaridade, agregando nos levantamentos das informações com suas visões profissionais nas suas respectivas áreas de atuação”, explica Felipe.

Voluntários

A equipe de voluntários foi formada por Altair Francisco, ciclista e estudante de gestão de turismo na UFPR Litoral, Muriel Veluza, cicloativista e professora, Felipe Souza, turismólogo e mestrando em Desenvolvimento Territorial Sustentável na UFPR Litoral, Felipe Roehrig Pacheco, cicloativista e estudante de Design na UFPR e David Couto, cicloativista, mestre em sociologia política e professor da rede pública de educação.

Fonte: Aline Nunes / UFPR

Leia também
Comentários
Carregando...