Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Chega a 200 o número de animais encalhados nas praias do Paraná

Foto: LEC-UFPR

O final de semana foi marcado por um número expressivo de encalhes de animais marinhos sem vida nas praias do Paraná. Entre sábado (4) e segunda-feira (6), a equipe do Projeto de Monitoramento de Praias resgatou quase 200 animais, a maioria mortos: pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), tartarugas-cabeçuda (Caretta caretta) e tartarugas-verde (Chelonia mydas), com maior ocorrência de encalhes em Guaratuba e Pontal do Paraná. Números atualizados: até domingo (5), o LEC informou que havia sido “mais de 100” animais.

Segundo a bióloga e coordenadora do Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR, instituição responsável pelo monitoramento, Camila Domit, as condições ambientais como a intensidade do vento entre sexta e sábado possivelmente propiciaram o aumento dos encalhes registrados em curto tempo, no entanto o que levou os animais a morte ainda é investigado e múltiplos fatores podem ter contribuído. “Nesta época do ano é comum encontrarmos em nosso litoral tanto espécies migratórias como as residentes. O aumento da ocorrência de animais na zona costeira resulta em maior risco de interações destes com as atividades humanas e a mortalidade dos animais em nosso litoral”, ressalta.

Alguns dos animais resgatados sem vida serão encaminhados para necropsia e somente após análises biológicas será possível descobrir a causa da morte.

😷Prevenção à covid-19

Outro ponto muito importante que chamou a atenção dos profissionais em campo neste feriado foi encontrar a maioria das pessoas nas praias sem as medidas sanitárias protetivas contra o coronavírus. 

“Fortalecendo as recomendações internacionais de saúde pública, reforçamos que os veranistas, turistas e moradores usem máscara e mantenham o distanciamento social ao abordar as equipes que fazem o resgate dos animais”, destaca o LEC-UFPR.

Caso você encontre pinguins e outros animais marinhos debilitados ou mortos:

📞 Ligue 0800 642 3341 e acione a equipe de resgate.

📱 Também podem ser feitos chamados via whatsapp, pelo número (41) 99213-8746.

Fonte: LEC-UFPR

Leia também
Comentários
Carregando...
error: Conteúdo protegido!