Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Violência mira os jovens também em Guaratuba

José Leônidas de Oliveira, de 37 anos, morreu ao levar três golpes de facão, por volta das 20h desta terça-feira (14), na localidade de Limeira, na área rural de Guaratuba.

Ailton Alves, de 55 anos, foi preso e, segundo a Polícia Militar, confessou ter cometido o crime. Ailton (foto abaixo) contou que eram amigos e que durante um “desentendimento” desferiu um golpe no pescoço de José.

José entra nas estatísticas que vêm sendo feitas pelo Jornal de Guaratuba como o 13º homicídio ocorrido neste ano no município. Difere da maioria dos casos por supostamente não ter relação com o tráfico de drogas e, principalmente, pela idade da vítima.

Em Guaratuba, como no resto do Brasil, o crime está levando, principalmente, a vida dos jovens. Segundo vem se apurando, boa parte dos autores dos crimes também são jovens, são pobres ou de classe média baixa. Mas, com também acontece no restante do país, por trás dos crimes há pessoas mais velhas e bem mais abastadas.

Cobrança de dívidas com traficantes, disputa por territórios ou, conforme suspeitas, briga entre as três facções atuantes no tráfico dentro da cidade são apontados como os principais responsáveis pela morte dos nossos jovens. Na edição de sexta-feira passada (dia 10), o mesmo Jornal de Guaratuba, mostra dois assassinatos que se enquadram nesta situação e que aconteceram em um intervalo de quatro dias.

No domingo (5), Igor Gonçalves Galvão, de 18 anos, foi encontrado morto em um terreno na rua Engenheiro Beltrão, no bairro Cohapar. Ele tinha um tiro no peito e outro no braço. Suas mãos e pernas estavam amarradas. Na tarde de quarta-feira (8), Giovane Alex Costa, de 17 anos, morreu depois de levar o tiro enquanto passava de bicicleta nas proximidades do aeroporto, no bairro Mirim. Ele conseguiu sair pedalando até em frente a uma frutaria, no bairro Piçarras, onde caiu. Foi levado pelo Siate ao Pronto Socorro já morto. Números 9 e 10.

Poucas horas antes de o jornal ser encaminhado à gráfica, na tarde de quinta-feira (9), um homem levou um tiro. Ele morreu no domingo e até esta quarta-feira (15) não havia sido identificado. Possivelemnte teria mais de 20 anos. O crime aconteceu em uma região do bairro Cohapar II conhecida como “Faixa de Gaza 1”. Número 11.

Dois dias depois que o jornal começou a circular, mais um jovem foi morto: Jean Rafael Alves de Souza, de 23 anos, foi baleado, no domingo (12), por volta das 19h30 na rua Dom Pedro II, esquina com a rua Jose Nicolau Abagge, no Centro. Número 12.

Nesta terça-feira (14), a poucas quadras dali, na rua Tibagi, quase esquina com Nicolau Abagge, Charles Alves Miranda, de 20 anos, levou um tiro no braço e conseguiu escapar com vida.

Mapa da Violência

A matança verificada nos três primeiros meses e meio do ano projetam um assustador número de 44 mortes para o ano. Levando-se em consideração a estimativa oficial do IBGE de em torno de 35 mil moradores (34.767 em 2014), teremos um índice assustador de mais de 120 homicídios para cada 100 mil habitantes. Isto colocaria Guaratuba entre os primeiros do ranking da violência no Brasil.

O Mapa da Violência, organizado pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela) em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e com o Governo Federal, em 2014, – com dados de 2012 –, colocou a cidade em 179º lugar no Brasil e em 17º lugar no Paraná. Foram 19 pessoas assassinadas e um índice de 57,9 homicídios por 100.000. A mais violenta do Paraná é Campina Grande (14ª no Brasil) com 106,6 homicídios. Do Brasil foi Caracaraí (RR), com 210,3/100.000hab.

No ano computado (2012), Guaratuba teve 9 jovens mortos violentamente (homicídios), pouco mais da metade do total de mortos (19), número e percentual superados com folga nos primeiros meses de 2014.

Para conhecer mais o Mapa da Violência contra os Jovens do Brasil acesse:
http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2014/Mapa2014_JovensBrasil.pdf

Mapa2014_JovensBrasil

Leia também
Comentários
Carregando...