Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Força-Tarefa vai reforçar rede de proteção às crianças no Litoral

Foto: Sejuf/ Arquivo

A Força-Tarefa Infância Segura (Fortis), da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, vai realizar neste mês um trabalho de mobilização, sensibilização e apoio para a rede de proteção à infância no Litoral do Paraná. O objetivo é a garantia dos direitos da criança e do adolescente.

As equipes da Fortis vão promover reuniões com os prefeitos, conselheiros tutelares, associações comerciais, conselheiros de direitos, sindicatos ou representantes dos vendedores ambulantes, entre outros. As mobilizações incluem ações de rua em pontos estratégicos (como a entrada do ferry boat) e nos calçadões centrais de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná.

Os carros da Fortis estarão no Litoral de 17 de janeiro a 3 de março para qualificar e agilizar o atendimento das situações envolvendo crianças e adolescentes.

“Além de reforçar as ações dos órgãos responsáveis, contamos com a sociedade em geral para que denuncie as situações de abuso e abandono pelo telefone 181. Toda a sociedade deve ajudar no bem-estar das crianças”, afirma o secretário Ney Laprevost, de Justiça, Família e Trabalho.

A chefe do Departamento de Políticas para a Criança e Adolescente da Sejuf e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), Angela Mendonça, destaca que os conselheiros tutelares têm importância fundamental na rede de proteção local. “Esse trabalho precisa ser apoiado pela rede comunitária, contar com o apoio dos vendedores ambulantes e dos comerciários no cuidado com as crianças”, completa.

A Força-Tarefa Infância Segura foi criada em 2019 e estabelece uma rede de proteção envolvendo secretarias de Estado, Poder Judiciário, Ministério Público, OAB, Conselhos Tutelares, forças policiais e instituições da sociedade civil organizada para a integração das políticas públicas dos sistemas de justiça, segurança, assistência social, educação e saúde, com ações coordenadas e efetivas para o acolhimento e o atendimento integral às crianças vítimas de violência.

Leia também
Comentários
Carregando...