Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Prefeito de Guaratuba decreta estado de calamidade pública por causa da travessia da baía

O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, decretou novamente estado de calamidade pública no Município devido aos atrasos na travessia de ferry boat na baía. A informação foi divulgada em um vídeo compartilhado nas redes sociais.

O novo decreto tem validade de 60 dias. No vídeo, Justus afirma que sua intenção é que o governo rescinda o contrato de concessão. 

“Muitas pessoas estão comentando que o fato do município arrecadar o ISS desse serviço habilitaria o município a tomar outras medidas, talvez até mais drásticas, o que, efetivamente, não é verdade”, disse Roberto Justus.

Em nota, a empresa BR Travessias reconhece que não realiza ainda “um serviço de excelência que o usuário merece”, e reafirma seu empenho e a realização de investimentos cita investimentos para “cumprir todas as determinações contratuais, nos prazos estabelecidos”.

Leia nota da concessionária:

Sobre o decreto de calamidade baixado pela Prefeitura de Guaratuba e   publicado nesta terça-feira (11) no  Diário Oficial do município, a BR Travessias Ltda  informa que desde que assumiu a concessão, em 7 de abril de 2021, vem realizando todos os investimentos  necessários para sanar  deficiências e atender  às determinações contratuais.

A concessionária também informa que desde abril, até o final de dezembro de 2021,  foram investidos cerca de 8 milhões em equipamentos e estruturas.  

Os três ferrys de propriedade do DER, sob  responsabilidade da BR  Travessias  foram reformados. Tiveram  praticamente toda a parte mecânica e elétrica trocadas.  Os equipamentos também receberam  novos motores  e pintura superficial para conter a ferrugem presente em toda parte. Também foram necessárias reformas nas pontes de acesso aos flutuantes, que apresentavam riscos à segurança do usuário e  nas instalações elétricas e hidráulicas do edifício em que funciona a administração da concessionária. 

A empresa reafirma seu empenho e a realização de investimentos permanentes no sentido de recuperar equipamentos, estruturas e oferecer um serviço de excelência que o usuário merece, o que, reconhece, ainda não alcançou, assim como de cumprir todas as determinações contratuais, nos prazos estabelecidos.

Guaratuba, 11 de janeiro de 2022

Já o DER, (Departamento de Estradas de Rodagem) informa que instaurou um Processo Administrativo de Apuração de Responsabilidade (PAAR) e que poderá ocorrer uma rescisão unilateral do contrato.

Comentários
Carregando...