Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

“O palhaço, a bailarina e a alegria de estudar” desembarcam em Pontal

Alertar para os riscos do bullying e, ao mesmo tempo, arrancar risos das crianças. É com esse espírito que a peça teatral “O palhaço, a bailarina e a alegria de estudar” desembarca nos próximos dias 8 e 9, às 9h e às 14h no ginásio da Escola Municipal Eng. Luiz Antônio Amatuzzi de Pinho, em Pontal do Paraná. 

As apresentações são gratuitas e voltadas aos alunos da rede municipal de ensino. O espetáculo mescla circo e teatro, com as figuras do Palhaço e da Bailarina como protagonistas da história. O palhaço é inocente, brincalhão, descontraído. A bailarina, uma menina doce, retraída e cheia de complexos.

O projeto foi aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal. A iniciativa é de Geovana de Abreu Salgueiro, diretora artística de espetáculos cênico-teatrais-circenses em Ponta Grossa há cinco anos. Geovana interpreta a Bailarina e o artista circense Robert Salgueiro desempenha o papel do Palhaço. 

“Trata-se de um espetáculo educacional, lúdico e surpreendente, interligando arte, cultura e educação para combater o bullying, depressão infantil e evasão escolar”, explica Geovana. O projeto conta com patrocínio da Copel, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Caminhos do Paraná e J. Malucelli. A coordenação é da ABC Projetos Culturais Ltda.

No enredo da peça, o Palhaço é atrapalhado e fala de forma errada. Já a Bailarina sofre bullying por não seguir os padrões impostos pela sociedade, não sendo alta e nem magra, por exemplo. “Os dois personagens acabam se ajudando e isso contribui para os alunos se aceitem como são, respeitem os colegas e se sintam motivados a estudar”, conta a diretora.

Plantar essa semente do respeito mútuo de forma lúdica entre as crianças é o principal foco da peça. “Acredito que enquanto as crianças estão assistindo um espetáculo, a mente delas viaja num universo mágico onde seus sonhos são possíveis, além de possibilitar que as crianças assimilem o que estão assistindo, plantando sementes de tolerância, respeito e educação que somente se fossem faladas talvez não fiquem fixadas com força no coração das crianças”, ressalta Geovana.

A apresentação contará com transmissão com audiodescrição instantânea para pessoas com deficiência visual e tradução em libras para pessoas com deficiência auditiva. Durante a apresentação, haverá momentos de interação entre os autores e as crianças. “Os personagens são lúdicos, inocentes, cheios de desafios e questões e se ajudam mutuamente, se elogiam, pois cada um é importante e todos juntos são mais importantes ainda”, completa a diretora. 

Leia também
Comentários
Carregando...