Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Em encontro no Litoral, TRE-PR ressalta autonomia e combate fake news

“A Justiça Eleitoral foi criada com o objetivo de realizar eleições transparentes e sem a interferência dos demais poderes, especialmente, do Poder Executivo. Somos o único órgão garantidor da soberania popular”, destacou o presidente do TRE-PR, desembargador Wellington Emanuel Coimbra de Moura.

Essa foi a principal mensagem dada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, na última sexta-feira (12, em Paranaguá. A reunião na cidade faz parte do 13º Encosegue (Encontro Regional de Combate à Desinformação e Fomento à Inteligência e à Segurança do Processo Eleitoral e das Urnas Eletrônicas).

O encontro aconteceu no Tribunal do Júri da cidade e contou com a presença da juíza diretora do Fórum Eleitoral de Paranaguá, Giovana Ehlers Fabro Esmanhotto. Compareceram juízes e chefes de cartório de Morretes, Antonina, Matinhos e Guaratuba. Também acompanharam o encontro estudantes, professores e diretores da Escola Estadual Cívico Militar Faria Sobrinho e do Colégio Estadual Alberto Gomes Veiga.

Painéis

Quatro painéis foram apresentados. No primeiro, o secretário da Presidência, Dr. Josmar Ambrus, falou sobre as metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O segundo painel foi conduzido pelo coordenador de Segurança e Transporte, Flávio Henrique Marçal Rodrigues, que tratou das ações institucionais ligadas à área.

Em seguida, o secretário Marden Machado apresentou os projetos da Secretaria de Comunicação Social.

O encerramento foi feito pelo servidor Roney Cesar de Oliveira, chefe da Seção de Gestão de Urnas com o tema “Processo Eleitoral Eletrônico”.

Segurança e direito ao voto

O desembargador Coimbra de Moura e a comitiva do TRE também visitaram a sede do 9º Batalhão de Polícia Militar, onde foram recebidos pelo tenente-coronel Marcos Ginotti Pires.

Na reunião, na PM, a equipe do TRE explicou o Projeto Cidadania Plena, que vai atender pacientes e idosos internados em instituições e hospitais de longa permanência, comunidades indígenas, quilombolas e caiçaras e também pessoas presas provisoriamente.

No dia da eleição, serão instaladas seções eleitorais nos locais onde for preciso para permitir que todos os eleitores aptos a votar.

Os palestrantes também apresentaram o Gralha Confere, uma central de combate à desinformação, que é um projeto oficial da Justiça Eleitoral do Paraná.

O objetivo da ação é aumentar a informação sobre o processo eleitoral em âmbito regional, auxiliar a cobertura jornalística das Eleições 2022, esclarecer o eleitorado e manter a integridade do pleito, minimizando a esfera de influência da desinformação e das fake news no Estado do Paraná.

A comitiva tratou, ainda, acerca de segurança institucional e segurança das urnas eletrônicas, detalhando o funcionamento dos equipamentos e explicando sobre os níveis de proteção na programação e nas auditorias que são realizadas a cada processo eleitoral.

Por fim, a Justiça e o comando do Batalhão trataram sobre a troca de informações e o alinhamento das instituições no dia da votação.

A Polícia Militar tem um papel muito importante para manter a ordem e a segurança dos cidadãos e das zonas eleitorais.

Com fotos e infomações do TRE-PR e 9º BPM

Leia também
Comentários
Carregando...