Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Autoavaliação é essencial para colaborador e empresa 

Entenda o que é, qual a importância e como deve ser aplicado o modelo de avaliação de desempenho individual

Foto: Freepik

Também chamada de autoavaliação, a avaliação de desempenho individual é uma das estratégias adotadas pelo setor de Recursos Humanos (RH) para acompanhar a performance dos colaboradores. Diferentemente de outras ferramentas com o mesmo objetivo, esse modelo tem como principal diferencial dar voz ativa a quem é avaliado. 

Ao abrir espaço para que o trabalhador se expresse, a empresa tem a possibilidade de coletar informações que vão além de uma análise comportamental e de produtividade. Com elas, é viável compreender o grau de satisfação, acolher sugestões, descobrir fatores de insatisfação e entender quais são os desafios e as dificuldades da rotina de trabalho.

A avaliação de desempenho individual, portanto, contribui para o desenvolvimento profissional do colaborador, já que é uma ferramenta útil para a elaboração do plano de cargos e salários e da análise para a transição do período de experiência para a contratação efetiva. Porém, também auxilia a empresa na construção de um ambiente de trabalho mais atrativo, acolhedor, onde produtividade e bem-estar caminham juntos. 

De acordo com a consultoria global Great Place to Work (GPTW), responsável pela realização e divulgação anual do ranking de melhores empresas para se trabalhar no Brasil, escutar os funcionários é uma forma de valorizá-los, reconhecê-los e transformá-los em coautores de decisões da empresa.

Entre os principais benefícios do processo de escuta apontados pela GPTW, estão o maior alinhamento da equipe com os objetivos da organização; a abertura para inovações nos processos, produtos e serviços; o fortalecimento da imagem da empresa junto aos colaboradores e o aumento da motivação, do engajamento e da produtividade.

Como aplicar uma autoanálise

Na avaliação de desempenho individual, o colaborador responde sobre a sua própria atuação na empresa, apontando o que pensa, como se sente e como age diante de situações específicas. Segundo orientação da Fundação Instituto de Administração (FIA), os parâmetros da análise devem ser determinados pela empresa por meio de um trabalho em conjunto entre líderes e o setor de RH.

A autoavaliação pode ser realizada em três etapas: criação do formulário de avaliação, diálogo entre gestor e colaborador avaliado e, por fim, uma análise conjunta entre gestor e o setor de RH.

No momento de criação do formulário para a avaliação de desempenho individual, os profissionais de RH devem coletar informações sobre a satisfação do colaborador com o ambiente de trabalho, motivações para trabalhar, desafios enfrentados nos últimos meses e objetivos para o futuro. Também é necessário abrir espaço para sugestões de melhorias e opiniões sobre gestor e colegas. No final, o funcionário deve se autoavaliar, refletindo sobre o próprio desempenho.

O formulário pode seguir o modelo de matriz SWOT, no qual são analisadas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças ao negócio. Outra opção é o focado em metas e resultados, em que são abordadas performance, realizações, metas e expectativas, além das áreas que serão desenvolvidas. Também é dado espaço para que sejam citados exemplos concretos.

Após o preenchimento do formulário, o documento precisa ser lido em um momento de diálogo entre gestor e colaborador. A conversa deve ocorrer em um ambiente calmo, tranquilo e seguro, sempre em tom respeitoso, para que ambas as partes se sintam confortáveis.

Durante a conversa, o gestor deve abordar questões como o plano de carreira do colaborador, novas metas individuais e treinamentos que possam ajudá-lo no desenvolvimento profissional. Ele também deve colher sugestões sobre como aumentar a sua motivação. Ao final, define-se quando será a próxima autoavaliação.

Após realizar esse processo com todos os membros da equipe, o gestor deverá se reunir com o setor de RH para apresentar o perfil comportamental de cada um. Além disso, vai mostrar como tem sido a interação e o desempenho do grupo e informar se há necessidade de contratações, desligamentos, treinamentos e outras ações. 

A partir das informações recebidas, os profissionais de RH vão trabalhar em planos de ação para sanar as questões apresentadas e tornar o processo da autoavaliação eficaz para empresa e equipes.

Leia também
Comentários
Carregando...