Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Veleiro Cisne Branco atrai trabalhadores e visitantes no cais do Porto de Paranaguá

Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná

Nesta segunda-feira (3), entre os 15 navios atracados no Porto de Paranaguá, esteve o Cisne Branco, da Marinha do Brasil. A embarcação atracou no último sábado (1º) e zarpou hoje (4). No domingo (2), ficou aberta para a visitação; nesta segunda, foram os trabalhadores do cais que aproveitaram para ver de perto essa “galera”.

“Esta não é a primeira vez que o Cisne passa pelo porto paranaense. Atracado no berço 208, já esteve no cais do Estado em 2016”, afirma o diretor de operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira da Silva Júnior.

Desta vez, a recepção foi feita no Terminal de Contêineres, no berço 215, pela empresa arrendatária TCP. Pela manhã, no domingo, foram 500 visitas guiadas; à tarde, outras 2.500, durante a visitação pública.

O navio, um verdadeiro símbolo da Marinha, tem diversas funções. As principais são a de instrução e a de representação, inclusive a diplomática. Esta é exercida tanto em portos nacionais, quanto internacionais.

Comparado aos navios que costumam atracar no porto, este é pequeno – mede 76 metros de comprimento e não chega a ter 11 metros de largura. Porém, em número de tripulantes se destaca: atualmente são quase 70 pessoas escaladas na embarcação. Fixos, são cerca de 50 que se renovam a cada dois anos de serviço.

Segundo a Marinha, para integrar a tripulação do Cisne Branco, o militar precisa passar por processo seletivo composto, inclusive por entrevista e teste de perfil. Estar a bordo chega a ser, para muitos marinheiros, um sonho.

“Se eu tivesse tido essa oportunidade, com certeza eu serviria. É uma embarcação muito bonita, diferente, e por ser um ‘navio-escola’, tem uma função muito importante, além da visita incentivar os jovens que queiram servir”, afirma Renan dos Santos Nascimento, marinheiro, auxiliar de convés, da empresa Albriggs, que atua no porto desde 2009.

HISTÓRICO – Como divulga a própria instituição militar, o navio-veleiro Cisne Branco (U20), já é o terceiro a receber esse nome na Marinha do Brasil. É uma réplica das embarcações “clipper”, do fim do século XIX. Foi construído pelo estaleiro Damen Oranjewerf, em Amsterdã, Holanda e lançado ao mar em agosto de 1999.

A entrega foi feita em fevereiro de 2000, por ocasião da largada da Regata Internacional Comemorativa aos 500 anos do Descobrimento do Brasil. Nesta, percorreu a “Rota do Descobrimento”, indo de Portugal ao Brasil. Desde então, está incorporado à Armada.

JORNADA – Na viagem atual, que inclui a parada em porto paranaense, a embarcação está navegando já há sete meses. No último mês de fevereiro, o Cisne Branco saiu do Rio de Janeiro para partir para a Comissão “Velas Latino-América”, realizada a cada quatro anos, com a Marinha de outros países do continente. Neste ano, formada por sete embarcações, o tema da Comissão foi a comemoração aos 200 anos de Independência do Brasil.

Retornando pelo Sul do país, o Cisne já passou pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina. De Paranaguá, amanhã (04), segue para Santos, para mais uma parada, antes de voltar para o Rio de Janeiro.

No Instagram da Portos do Paraná (@portos_parana), é possível ter acesso a outras informações curiosas sobre a embarcação.

***“Galera” é como é chamada a embarcação a vela, geralmente com três ou mais mastros.

Leia também
Comentários
Carregando...