Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Projeto de estudante de Antonina que cria Dia da Cultura Caiçara pode virar lei

Foto: Dálie Felberg/Alep

Os olhares atentos a cada detalhe e a curiosidade comum às novas descobertas marcaram o desembarque no Palácio Dezenove de Dezembro – que abriga a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná – dos 32 alunos finalistas da edição 2022 do Projeto Geração Atitude, idealizado pela Casa de Leis em parceria com Ministério Público, Tribunal de Justiça e Secretaria de Estado da Educação.

Os escolhidos, ao lado dos professores orientadores de seus projetos de lei, integram a Caravana da Cidadania e até sexta-feira conhecerão a estrutura e o funcionamento de todos os Poderes do Estado, além de visitas à pontos turísticos da capital paranaense, como premiação à participação no Geração Atitude de 2022. Eles foram selecionados entre 207 inscritos no projeto.

Pela manhã, após uma breve visita às instalações da Assembleia Legislativa, os alunos se reuniram no Plenário localizado no Centro Legislativo Presidente Anibal Khury e acompanharam com muita atenção à palestra do diretor Legislativo, Dylliardi Alessi, sobre o trabalho dos parlamentares e a importância da Assembleia e das leis aprovadas na vida dos paranaenses.

Com a aula dada, os alunos assumiram seus postos como Deputados Mirins e cada um teve a oportunidade de defender o seu projeto de lei, que passaria pelo crivo de seus pares. Os participantes votaram no painel eletrônico, da mesma forma que os deputados paranaenses. Todos os 32 projetos foram aprovados.

Após a pausa para o almoço, os alunos retornaram à Assembleia Legislativa para o momento mais aguardado: o anúncio do projeto vencedor que poderá ser colocado em votação e se tornará lei no Estado do Paraná.

Coube ao presidente da Casa, deputado Ademar Traiano, anunciar a aluna Thayssa Dias Cruz, do Colégio Cívico Militar Moysés Lupion, de Antonina, como vencedora da edição 2022 do Geração Atitude. Ela propôs a instituição do Dia da Cultura Caiçara no Estado do Paraná, a ser comemorado no dia 19 de fevereiro. O projeto seguirá os trâmites da Casa até ser levado a Plenário para aprovação dos deputados e, posteriormente, à sanção do Governador do Estado.

“É muita emoção, foi incrível estar aqui e melhor ainda ter o nosso projeto reconhecido” comemorou a aluna vitoriosa, para logo em seguida detalhar a sua proposta. “A ideia é instituir um dia que marca não apenas uma comemoração, mas também a evidência de uma cultura extremamente rica, que ganhou a patrimonialização da sua principal dança, o fandango. Além disso, a data fará com que as futuras gerações conheçam e valorizem os aspectos ligados à sua identidade, criando raízes e perpetuando a importância de ser paranaense e pertencer a esse complexo cultural com riquezas intangíveis”.

A professora Adriana do Pilar Rosa Dias, que orientou a criação do projeto e acompanhou a aluna na Caravana da Cidadania também comemorou muito a vitória e revelou “uma grande emoção pela escolha”. Segundo ela, o “projeto sempre teve essa ideia de buscar representatividade do que nós somos. Os alunos podem entender quem eles são em sua região. A gente sempre prega nas escolas que o aluno precisa entender geograficamente onde ele vive. Trabalhamos com a Thaysa como ela se vê como Caiçara, como a cultura pode ser vista e comemorada e foi isso que ela expressou em seu projeto”.

Projeto reconhecido

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano, lembrou que o projeto Geração Atitude, ao lado de outras duas iniciativas da atual Mesa Legislativa, o Parlamento Universitário e o Aplicativo Agora é Lei, é reconhecido nacionalmente e serve de inspiração para outras Assembleias Brasil afora. “O Projeto Geração Atitude já foi premiado nacionalmente como o melhor Projeto para a Cidadania pelo Conselho Superior do Ministério Público Nacional. É um projeto que só tem o seu sucesso alcançado devido a participação efetiva dos professores, dos alunos e pelo envolvimento dos poderes estaduais, o Ministério Público, o Tribunal de Justiça e Secretaria de Educação”.

O presidente parabenizou os 32 finalistas, que receberam o seu certificado de participação, e também todos os 207 projetos inscritos no programa. “É um orgulho para o Poder Legislativo receber todos neste dia. Quero parabenizar vocês pela participação, pelo empenho e principalmente pelo despertar do exercício da cidadania, que é o nosso grande objetivo, que é fazer com o que os nossos jovens, dentro das salas de aula, possam despertar o interesse pela vida política para que algum dia, quem sabe, possam estar ocupando o nosso lugar aqui na Assembleia. E tudo isso nasce nos bancos escolares”.

O deputado Luiz Cláudio Romanelli, primeiro secretário da Assembleia, também destacou a importância do programa e sua influência na vida dos jovens. “Através de um projeto igual a esse, eles participam de um processo legislativo, entendem o que é cidadania e de uma forma muito objetiva crescem como pessoas”. O parlamentar ressaltou que o Geração Atitude é um investimento que a Assembleia faz para que “haja essa grande mobilização [nas escolas públicas] e que se conclui com a participação presencial desses jovens vindo a Curitiba, participando do programa, vivenciando o ambiente da Assembleia Legislativa, visitando os Poderes constituídos, entendendo o funcionamento do Estado na sua complexidade, mas ao mesmo tempo aproximando eles do mundo real da política que é uma questão tão fundamental numa democracia que todos entendam como funciona um parlamento, o Governo do Estado, o Ministério Público, o Tribunal de Justiça. Para eles, no sentido positivo é uma política afirmativa e quase que um privilégio poder entender isso. E muitos deles poderão seguir carreiras jurídicas, poderão disputar eleições em suas cidades, para vereador, prefeito, deputado estadual, federal. Esperamos que dessa centelha acesa aqui nasçam cidadãos e cidadãs consciente de seus direitos e deveres”.

Foto: Orlando Kissner/Alep

O projeto vencedor

A aluna Thayssa Dias Cruz, do Colégio Cívico Militar Moisés Lupion de Antonina, foi uma das primeiras inscritas no Geração Atitude de 2022 e foi dela o projeto escolhido para se tornar Lei no Estado do Paraná.

Bem construído e explicativo, a proposta mostra em seu artigo primeiro, a intenção de instituir no “Estado do Paraná o Dia da Cultura Caiçara, a ser comemorado no dia 19 de fevereiro, data que marcou a patrimonialização do Fandango Caiçara, uma das manifestações artístico-culturais mais relevantes para tal grupo social”.

Segue, no artigo segundo, definindo que “estão inclusas nas comemorações alusivas ao Dia da Cultura Caiçara, a exaltação do seu modo de vida da caiçara, de suas práticas laborais, de sua riqueza gastronômica e de suas práticas artísticas, incluindo o artesanato, a música e a dança”.

Na sequência o projeto demarca como a região Caiçara, os sete municípios do litoral paranaense: Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná.

Na justificativa, a aluna Thayssa explica que “Entende-se por Caiçaras, as comunidades formadas pela mescla da contribuição étnico-cultural dos indígenas, dos colonizadores portugueses e, em menor grau, dos escravos africanos. Os Caiçaras apresentam uma forma de vida baseada em atividades de agricultura itinerante, da pequena pesca, do extrativismo vegetal e do artesanato”.

Ela explica ainda que o termo Caiçara é originário do tupi-guarani, proveniente da junção de duas palavras – caá, (mato) e içara (armadilha), que indicava todo um sistema de proteção e sobrevivência. Os Caiçaras vivem em um território descontínuo, formado por comunidades espalhadas que começam no litoral do Estado do Rio de Janeiro, passam pelo Estado de São Paulo até chegar ao litoral do Estado do Paraná, e possuem modos de vida semelhantes, que apresentam variações regionais.

Fotos: Orlando Kissner/Alep

Experiência única

Os 32 alunos finalistas da edição 2022 do Geração Atitude, garantem que estão vivenciando uma oportunidade rica e que ficará marcado na memória, além de despertar um interesse maior por assuntos ligados à política e cidadania.

Anderson Gabriel Silvério, 16 anos, representante do Colégio Estadual Cívico Militar Érico Veríssimo, de Laranjeiras do Sul, revelou que esta é “uma experiência muito gratificante, uma oportunidade a todos de conhecerem os Poderes do Estado e o seu funcionamento. Muito enriquecedor”. Ele foi autor do projeto “Projeto Escola Verde”, que visa conscientização para o plantio de árvores nos pátios e entorno das escolas de todo o Estado.

Já o aluno Brayan Colanzi da Silva, de 15 anos, que estuda no Colégio Estadual Igléa Grollmann de Cianorte, destacou que a “experiência está sendo ótima, vamos conhecer vários lugares importantes da esfera estadual, e principalmente desenvolver toda essa questão de cidadania e democracia e, principalmente, o protagonismo juvenil”. Ele propôs, no seu projeto, que cada Instituição de Ensino estabeleça que a todos dentro do ambiente escolar, seja o corpo pedagógico, administrativo ou docente, tenham direito a um estado de saúde mental ou física digna”.

Vinda do Colégio Estadual João XXIII de Mamborê, a aluna Evelyn Vitória Lima Ferreira, de 15 anos contou que a ideia do seu projeto de lei surgiu da realidade presenciada em sala de aula. “Tinha uma professora que sempre reclamava que não conseguia ler a embalagem dos produtos alimentícios e nós pensamos uma forma de mudar isso e veio o projeto, que é a inserção do QRCode nas gôndolas, com todas as informações nutricionais, de composição e demais informações necessárias aos consumidores”. Sobre o projeto, ela considerou “inovador, que está sendo uma experiência que está mudando nossa vida. É um outro mundo, totalmente diferente e estamos aprendendo muita coisa”.

Quem também se encantou com o Geração Atitude foi a aluna Gabriely Alves Ferreira, de 15 anos, representante do Colégio Estadual Professor Becker e Silva de Ponta Grossa. “A minha experiência até aqui foi muito boa no Geração Atitude, de oportunizar nós, adolescente, estarmos representando nossos colégios. Todos os projetos são importantes, todos trabalharam bastante para formalizar suas propostas. Sentar na cadeira dos deputados, conhecer todo o ambiente, foi uma experiência incrível”.

Os professores que acompanham os alunos também celebraram a oportunidade de trabalhar o despertar da cidadania e o interesse pela política nos jovens, que se mostraram empolgados com a novidade.  “Uma experiência muito gratificante. Nós trabalhamos também o projeto Parlamento Jovem e a nossa aluna, que é uma das vereadoras mirins, tem essa experiência tanto no legislativo municipal e agora no estadual, com um projeto muito legal. Ela teve a ideia, nós só fizemos algumas orientações e nós vemos toda a dedicação, o esforço, desde o pesquisar, estudar, como também a defesa daquilo que ela acredita. Ela veio levantar uma bandeira para que outras pessoas, como crianças e adolescentes possam ter a sua voz ouvida. Nós vemos todo um trabalho colocado para os alunos e eles aderindo e desenvolvendo com muito interesse de ver uma transformação, que é ver o efeito do conhecimento aplicado em sala de aula” enalteceu o Professor Irapoan Moreira da Silva, que acompanhou e orientou a aluna Laura Paola Pelicioli, do Colégio Estadual Cívico Militar Tancredo Neves de Medianeira

A professora Veninha Bortoluzzi Pereira, acompanhando o aluno Anderson Gabriel Silvério, do Colégio Estadual Cívico Militar Érico Veríssimo, Laranjeiras do Sul, destacou a experiência tanto para os docentes como para os alunos. “Ver toda essa interação, conhecer como funciona todo o processo legislativo é muito interessante. O trabalho com os alunos para participar do projeto também foi muito envolvente e democrático. Fizemos até uma banca de professores e da diretoria do colégio para escolha dos projetos que seriam inscritos, então foi muito bom ver o envolvimento de todos”.

Caravana

Nesta quarta-feira (9) os alunos e professores têm compromisso agendado no Ministério Público, a partir das 9h20 e à tarde farão uma visita ao Museu Oscar Niemeyer. Na quinta-feira, a Caravana da Cidadania chega ao Tribunal de Justiça pela manhã e o período da tarde está reservado para uma visita aos principais pontos turísticos de Curitiba.

Conheça os 32 projetos finalistas

– Vanessa Dias Arantes da Silva – Colégio Estadual Cívico Militar Elias Abrahão – Quatro Barras

Instituir a disciplina de Libras na grade curricular das escolas públicas e privadas para todos os estudantes do Ensino Fundamental e Médio.

– Maria Carolina Marques Costa – Colégio Estadual Cívico Militar Chico Mendes – São José dos Pinhais

Institui o Projeto Professor Corregente, que tem por objetivo: Professor substituto que supra a necessidade na ausência do docente, suprido nas instituições de ensino nos Colégios Estaduais do Estado do Paraná.

– Wendy Nailly Aparecida Nascimento – Colégio Estadual Cívico Militar Senador Teotônio Vilela – Assis Chateaubriand

Dispõe que todas as Escolas do Paraná tenham laboratório de pesquisa científica e tecnológica.

– Jaqueline Moreira Swirkowki – Colégio Estadual General Carneiro – Roncador

Autoriza as escolas públicas estaduais e municipais do Estado do Paraná a instituírem programas sociais de estágios voluntários e gratuito aos estudantes do curso de psicologia das universidades públicas e privadas, visando a assistência psicoemocional de crianças e adolescentes da rede pública de ensino, bem como a capacitação do profissional de psicologia.

– Brayan Colanzi da Silva – Colégio Estadual Igléa Grollmann – Cianorte

Estabelece que cada Instituição de Ensino estabeleça que a todos dentro do ambiente escolar seja o corpo pedagógico, administrativo ou docente tenham direito a um estado de saúde mental ou física digna.

– Henrique Calandro Lopes Campagnucci – Colégio Estadual Cívico Militar Monteiro Lobato – Cornélio Procópio

Estabelece a implementação de Ciclos de palestras aos Educadores sobre o Transtorno do Espectro Autista.

– Alana Cristina Ribeiro Nunes – Colégio Estadual Professor Francisco Zardo – Curitiba

Dispõe sobre a inserção de “Gincana Esportiva, Cultural e de Conscientização Ambiental nas Escolas Públicas do Paraná” como atividade anual permanente no calendário escolar da rede pública de ensino do estado do Paraná.

– Sofia Caroline Dalberto – Colégio Estadual José de Alencar – Nova Prata do Iguaçu

Projeto Institui a criação do Programa De Mão Dadas, que tem por objetivo a busca pela superação da ansiedade desenvolvida no período da pandemia da COVID – 19.

– Laura Paola Pelicioli – Colégio Estadual Cívico Militar Tancredo Neves – Medianeira

Dispõe sobre o Programa de Educação Sexual a ser implantado no âmbito da educação estadual, visando a conscientização e prevenção das práticas sexuais ilícitas e precoces, bem como suas decorrências.

– Luiz Eduardo França Matozo – Colégio Estadual Cívico Militar Cândido Portinari – Ampére

Orienta as Instituições de Ensino estaduais a incentivar a conservação da natureza durante 1 (uma) semana.

– Ana Rafaella Costa Reginaldo – Cívico Estadual Militar Olavo Bilac – Ubiratã

Dispõe do uso das notas obtidas nas avaliações externas como critério de acesso aos Cursos de Ensino Superior e estabelece que a medida seja normatizada por todas as Instituições de Ensino Públicas e Privadas do Estado do Paraná.

– Leonardo José de Souza Aires – Colégio Estadual Cívico Militar Vereador Heitor Rocha Kramer – Guarapuava

Regulamenta o correto descarte de lixo oriundo de aparelhos e dispositivos eletrônicos.

– Daniel Heidgger Costa – Colégio Estadual Cívico Militar Júlio Farah – Ibaiti

Cooperação técnico-pedagógica entre Universidades Estaduais e Colégios Estaduais

– Flávia Michele Viante – Escola Estadual do Campo Rio D’Areia de Cima – Teixeira Soares

Estabelece o amparo financeiro para adoção de crianças acima de cinco anos e adolescentes, com o objetivo de baixar as filas de espera deste público por este momento importante em suas vidas, bem como diminuir os gastos públicos com a tutela de crianças e adolescentes que são passíveis de adoção.

– Bianca da Silva Marquezini – Colégio Estadual Professora Reni Correia Gamper – Manoel Ribas

Institui o Programa Cidades Carbono Zero, que tem por objetivo a redução de CO2 na atmosfera para garantir qualidade de meio ambiente.

– Kawany Vitória Cerino de Lima – Colégio Estadual Luiz Setti – Jacarezinho

Institui a Política Estadual de Atenção Integral às Vítimas de Acidente Vascular Cerebral – AVC.

– Anderson Gabriel Silvério – Colégio Estadual Cívico Militar Érico Veríssimo – Laranjeiras do Sul

Dispõe sobre a criação do “Projeto Escola Verde”, com a finalidade de proporcionar a arborização no interior e entorno das escolas públicas do Estado do Paraná, e consequentemente a conscientização dos estudantes e comunidade escolar sobre a importância do plantio e preservação das árvores no ambiente escolar.

– Kessia Cristina de Jesus da Silva – Colégio Estadual Cívico Militar Presidente Afonso Camargo – Loanda

O projeto de lei Enfermaria nos colégios e escolas públicas têm a finalidade de ter uma enfermeira especializada para prestar primeiro socorros aos alunos

– Rhauany Vitória Domingos da Silva – Colégio Estadual Cívico Militar Doutor Fernando de Barros Pinto – Londrina

Propõe a inserção dos conteúdos de defesa pessoal e primeiros socorros na disciplina de educação física.

– Dercílio Santana Júnior – Colégio Estadual Cívico Militar São Vicente Pallotti – Maringá

Institui o Programa Bem-vindo ao Paraná que tem como objetivo proporcionar o acolhimento e a inclusão de estudantes estrangeiros, de diferentes culturas e idiomas.

– Thayssa Dias Cruz – Colégio Estadual Cívico Militar Moysés Lupion – Antonina

Institui o Dia da Cultura Caiçara no Estado do Paraná e dá outras providências.

– Tiffany Kaori Campolim Tamimori – Colégio Estadual Antônio Tortato – Paranacity

Estabelece o projeto “Amparo pós-feminicídio”, que visa amparar parentes de vítimas de feminicídio no Estado do Paraná, com o objetivo de manter a qualidade de vida dos mesmos.

– Charieni Amanda Gimenes Punhi – Colégio Estadual Cívico Militar Nova Visão – Chopinzinho

Dispõe sobre o atendimento de um profissional da área de psicologia nas escolas estaduais da Rede Pública de ensino do Estado do Paraná.

– Vanessa Stipp Pinto – Colégio Estadual do Campo Vinicius de Moraes – Nova Tebas

Contratação de Profissionais da Área de Psicologia para Atuação nas Escolas Estaduais do Paraná

– Gabriely Alves Ferreira – Colégio Estadual Professor Becker e Silva – Ponta Grossa

Estabelece a obrigatoriedade de aulas sobre educação patrimonial dentro do âmbito escolar.

– Adrian Ferreira Cordeiro – Colégio Estadual Cívico Militar Professor Custódio Netto – Telêmaco Borba

Fim dos crimes virtuais ofensivos através de uma fiscalização automática pelos órgãos competentes.

– Christopher Matheus Lemke – Colégio Estadual Cívico Militar Marechal Rondon – Marechal Cândido Rondon

Estabelece a obrigatoriedade de centros de enfermagem nos colégios do Paraná

– Yasmin de Melo Barbosa – Colégio Estadual Cívico Militar Dra. Zilda Arns – Umuarama

Dispõe sobre a criação de mecanismos Complementares ao processo de escolha dos alunos Novo Ensino Médio, criando o Dia das Profissões.

– Ana Luiza Machado – Colégio Estadual Judith Simas Canellas – União da Vitória

Institui que as empresas de transporte escolar e coletivo passem a ter em todos os veículos GPS, câmeras de segurança e botões do pânico.

– Evelyn Vitória Lima Ferreira – Colégio Estadual João XXIII – Mamborê

QRcode: consumidor mais informado. Dispõe sobre a apresentação de cartaz nas gôndolas dos supermercados com o Qr code dos produtos com dados nutricionais, composição e demais informações complementares ao consumidor.

– Emanuel Piccoli Kawalkievicz – Colégio Estadual José de Alencar – Nova Prata do Iguaçu

Projeto Dispõe sobre o Programa Despertando para o Mundo do Trabalho, que tem como objetivo a reflexão, estimulando os estudantes para o mercado de trabalho.

– Letícia Heerdt Vandresen – Colégio Estadual Professora Reni Correia Gamper – Ivaiporã

O Programa Riqueza Menstrual, que tem por objetivo disponibilizar absorventes para as alunas de Ensino Médio de escolas públicas.


 Fonte: Alep/Vanderson Luiz

Leia também
Comentários
Carregando...