Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

3ª Festa da Reforma Agrária acontece hoje o dia todo em Antonina

Apresentação do grupo Mestre Eugênio, formado por crianças e adolescentes, parentes de fandangueiros, na 2ª edição da festa da comunidade Lutzenberger, em 2021. Foto: Juliana Barbosa

Muita música e comida boa estão garantidas na 3ª Festa da Reforma Agrária Popular: Cultivando a Cultura Camponesa e Caiçara, que será realizada hoje (sábado, 10), na Comunidade José Lutzenberger, em Antonina.

Ao longo de todo o dia, a programação vai trazer a mistura das culturas camponesa e caiçara, com Procissão da Bandeira do Divino, baile de fandango, feira de produtos agroecológicos e da economia solidária, comidas típicas. O evento já é uma tradição na comunidade agroflorestal, reconhecido como parte do Calendário de Eventos Turísticos do Paraná.

Esta edição também será de celebração de uma conquista desejada há 21 anos: a formalização do assentamento e garantia do direito à terra para as mais de 20 famílias que vivem na comunidade.

A programação tem presença confirmada grupo Mandicuera, direto da Ilha de Valadares, Paranaguá. O coletivo é conhecido em todo o estado pelos famosos bailes de fandango e pela valorização, preservação e desenvolvimento das manifestações culturais dos povos do litoral paranaense. Como tradição, o grupo vai trazer música até o amanhecer! Além de ser atração garantida desde a primeira edição da festa, o grupo faz parte da idealização e da organização do evento.

Também estão confirmadas: Roda das Manas, formada por mulheres e pessoas não binárias do litoral do estado, que traz e desenvolve toda a potência das mulheres na música e na arte; “Lendas Caiçaras”, espetáculo teatral que utiliza de atores, bonecos, música para levar os causos, histórias e cultura caiçara para crianças de todas as idades; e do grupo de reggae Fonte de Luz, também do litoral.

Para animar o dia terá música com os violeiros do MST, uma linda mística preparada por militantes e pela comunidade local e um ato político de abertura, com falas do MST, autoridades e da comunidade. Além disso, no período da tarde será realizada visita às áreas de agrofloresta, banho de rio, teatro e apresentação do documentário “Agrofloresta é mais”. E também terá feira com mudas e sementes, sorvete agroflorestal, Rede Mandala, Produtos da Terra e produtos do MST.

Comunidade premiada pela recuperação da Mata Atlântica

O acampamento, onde hoje vivem 20 famílias, era um território devastado pela pecuária extensiva de búfalo e por crimes ambientais, como o desvio do Rio Pequeno, que atravessa a área. Depois da ocupação, em 2004, as famílias fizeram um grande trabalho de recuperação ambiental e produção agroecológica.

Desde lá, foi necessário realizar um trabalho para recuperar a degradação ambiental que o terreno sofreu, após todo esse processo e recuperação da mata ciliar, o Rio Pequeno voltou ao seu curso normal. Por conta deste trabalho, em 2017 a comunidade recebeu o prêmio Juliana Santilli de Agrobiodiversidade.

Confira a programação completa:

10h – Abertura com mística e ato político

11h30 – Procissão da Bandeira do Divino

12h30 – Almoço comunitário gratuito

14h30 às 17h – Atividades simultâneas:
Visita em áreas de agrofloresta
Banho no Rio Pequeno
Cine com o documentário “Agrofloresta é mais”

18h – Lendas Caiçaras – Espetáculo teatral para crianças

19h – Grupo de reggae Fonte de Luz

20h – Baile de Fandango com o Grupo Mandicuera – Até o amanhecer!


Fonte: Setor de Comunicação e Cultura do MST-PR / Editado por Fernanda Alcântara

Leia também
Comentários
Carregando...