Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Dengue estável no Litoral apesar do clima

O número de casos confirmados de dengue no Litoral do Paraná continua estável nesta última semana. São 31 casos, um a mais do que na semana passada.

Os dados são do boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado no final da tarde desta terça-feira (13).

O caso a mais foi em Paranaguá, que chega a 30 pessoas que contraíram a doença. Guaratuba segue com 1 caso e os demais cinco municípios sem nenhuma confirmação.

Comparando com a situação de Paranaguá na véspera do verão passado, a situação é bem melhor. No dia 15 de dezembro de 2015, a Sesa já havia confirmado 365 casos autóctones, ou seja, contraídos dentro de Paranaguá. No final do verão, o município já tinha mais de 15 mil casos da doença.

Regiões – Das regionais da Saúde, o Litoral está atrás de Maringá, com 83 casos e Londrina, com 81. Na incidência, com 10,84 casos por 100 mil habitantes está um pouco acima de Paranavaí, que tem 10,5 casos/100 mil.

Prevenção – Além da prevenção contra os focos do mosquito, parte da população já tomou a vacona contra a doença. Outro reforço no combate virá com a soltura, neste mês de dezembro, de mosquitos Aedes aegypti estéreis, num projeto-piloto desenvolvido pela empresa Forrest Innovations com apoio do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

Risco climático” – Apesar dos dados animadores, a imprensa estadual volta a alardear que o Litoral, especificamente Paranaguá e Guaratuba apresentam “risco climático” de proliferação do mosquito. A informação é divulgada pela própria Sesa, com base em estudos do Serviço de Alerta Climático de Dengue do Laboratório de Climatologia da Universidade Federal do Paraná.

O estudo não leva em conta os casos da doença, apenas verifica as condições climáticas. Por causa do clima quente e úmido por sua extensa cobertura florestal, nos meses quentes Guaratuba está sempre com índice elevado de “risco climático”. No entanto, na temporada 2015/2016 Guaratuba foi o município do Litoral com menos casos da doença.

Lixo – A situação mais favorável não significa que as autoridades sanitárias e os moradores e veranistas não devem continuar tomando cuidado contra a proliferação do mosquito. O acúmulo de lixo e de resíduos que podem juntar água são dois problemas que devem ter atenção redobrada no verão.

Acesse aqui o boletim completo no site da Sesa: http://www.dengue.pr.gov.br/arquivos/File/DengueInformeTcnico17_2016_2017atSE49016_ZIKA_CHIKUNGUNYA_novatabelaCHIKUNZIKA2016_12_13divulgado.pdf
ou no Correio do Litoral: Boletim da Dengue 13dez2016

Assista o vídeo sobre o laboratório de produção de mosquitos estéreis

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...
error: Content is protected !!