Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

O mar, o surf e os negócios

No último final de semana, passei o sábado e o domingo trabalhando como juiz na última etapa do Circuito Guaratubano de Surf. Uma tarefa árdua, pois além de foco total nas ações dentro do mar e muita atenção aos detalhes das manobras de cada atleta, tenho que deixar meu coração de lado e agir com total imparcialidade para atribuir notas a muitos dos meus amigos e companheiros de surf que estão ali na água.

A escala para os juízes é de três baterias trabalhando e uma de folga, o qual invariavelmente te deixa pela areia assistindo mais uma bateria, pois são apenas 15 minutos de descanso, sendo impossível uma siestinha, por exemplo.

Foi em um destes intervalos que me peguei acompanhando uma das melhores baterias do campeonato. Quatro atletas, todos muito talentosos, disputavam onda a onda, manobra a manobra, as duas vagas restantes na final de sua categoria. Como eu disse 15 minutos é muito pouco tempo para folgar, imagine para surfar, se coloque no lugar deles.

As séries de boas ondas demoram aproximadamente entre 3 a 7 minutos para adentrarem à costa, e são normalmente compostas por três ondas. Fora isso, recebem influência dos ventos e das marés que por sua vez, são influenciadas pelas fases da lua. São estas infinitas variáveis que tornam o surf sucesso de público e simpatizantes, um mercado que movimentou em 2016 aproximadamente U$ 22 bilhões e mais de 35 milhões de praticantes ao redor do mundo, segundo a WSL. Liga Mundial de Surf.

Competi poucas vezes no surf, mas uma coisa que sempre precisei trabalhar nos momentos pré baterias é a concentração. Diferente do futebol, por exemplo, o surf é um esporte individual, você toma todas as decisões sozinho e o sabor da vitória será um néctar provado somente por ti, assim como todo o fel da derrota.

Muito parecido com o que encaramos atualmente em nosso mundo dos negócios. Tomamos decisões rápidas em nossas empresas, sozinhos, exatamente como em uma grande sessão de onda que fecha à tua frente. Você tem duas opções: se posicionar e se preparar para o tubo da sua vida, buscando a nota 10, ou você pode desistir pela segurança da espuma com a certeza de se livrar de um grande caldo.

O mar é como o mercado. Uma imensidão inexplorada ao redor do mundo, sujeita a bonanças e tempestades, as quais você pode apreciar da areia ou surfar lá de dentro.

Afinal o que você quer para seu negócio? Surfar ou ficar na areia?

Rafael Alves é publicitário, diretor da Tarrafa Propaganda e da Brava Mídia, há 5 anos desbravando o mercado publicitário a partir do Litoral do Paraná. https://www.linkedin.com/in/rafael-alves-25ab7821

Leia também
Comentários
Carregando...