Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná
Matinhos abril 24 Curtiu a Diferença 1170 250 busao

Aldeia Kuaray Haxa oferece oportunidade de vivência neste fim de semana

Fotos: Tekoa Kuaray Haxa / Facebook

A aldeia indígena (tekoha) Kuaray Haxa, em Guaraqueçaba, está aberta para visitação neste final de semana, sábado (25) e domingo (26). A notícia foi divulgada antes no Jornal Plural Curitiba, em matéria da jornalista Cecília Zarpelon.

É a primeira vez que a comunidade faz essa vivência para os não indígenas, explicou Eliane Castro, uma das lideranças da aldeia, ao Correio, numa voz suave e calma, sempre usando o plural “nós” e o coletivo “a gente”. “A gente vai ter várias atividades, como a bioconstrução, que é o barramento da nossa Casa de Reza, plantação de mudas, a gente tem uma trilha pra abrir até a cachoeira…” A programação também conta com comida típica nos dois dias, pintura corporal, noite de concentração na Casa de Reza e uma roda de conversa no domingo.

Para repor os gastos com os alimentos que serão servidos, está sendo pedido uma contribuição de apenas R$ 40 pelos dois dias – o pagamento pode ser feito por PIX, usando a chave do CPF 10960596909. Também pode serem levados alimentos não perecíveis. Os interessados devem entrar em contato com Eliane pelo telefone/whats número (41) 99720-4914 para confirmar a presença e obter mais informações.

Eliane Castro disse ao Correio do Litoral, que a aldeia pretende promover outras visitações. “Ao atrair não indígenas para conhecer nossa cultura, como é a nossa realidade, a gente atrai o respeito, a compreensão e o apoio dos não indígenas à nossa luta”, disse.

“Muitos brasileiros pensam que os indígenas são só lá do Alto Xingu, da Amazônia. Não sabem que em todo o Brasil existem povos indígenas, no Paraná, aqui no Litoral”, comentou. “Quando têm estas oportunidades de visitas, não só na minha aldeia, mas também em outras aldeias, é importante que as pessoas aproveitem para conhecer a realidade de cada povo de cada etnia”. Ela também disse que a comunidade quer atrair a visitação de escolas, para as crianças jovens conhecerem a realidade dos indígenas, a história verdadeira.

“É a primeira vez que a gente está fazendo (a visitação) aqui na aldeia, a gente está bem animado e preparado pra receber todos, estamos ansiosos e queremos passar uma experiência boa e que todos que vierem voltem outras vezes”, disse.

O Tekoa Kuaray Haxa fica às margens da PR-405, nos limites dos municípios de Guaraqueçaba e Antonina. Foi criada em março de 2012, por um grupo que deixou a Aldeia Palmeirinha (Terra Indígena Mangueirinha), no município de Mangueirinha, na região Sudoeste do Paraná.

O grupo ocupou as terras antes de o Governo Federal decretar a criação da Reserva Biológica Bom Jesus Rebio, em terras sobrepostas à aldeia. Os técnicos do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) que fizeram a delimitação dos 34.179 hectares da Rebio afirmam que os indígenas não estavam no local durante o levantamento da área.

Em novembro de 2014, com o apoio do Ministério Público Federal (MPF) e da Fundação Nacional do Índio (Funai), a comunidade, liderada pelo cacique Verá (Rivelino) conseguiu que a Justiça Federal decidisse pela permanência da aldeia na área. Os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) reconheceram que a presença da comunidade não traria prejuízo à unidade de conservação. Ainda não houve sentença definitiva no processo. 

Entre 2012 e 2014, a aldeia tinha cerca de 30 habitantes, de seis famílias. Segundo a reportagem do Plural, hoje há 18 pessoas, também de seis famílias.


Fonte: Jornal Plural Curitiba, Trabalho Indigenista e Mapa de Conflitos

Leia também