Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Temporada começa com 11 pontos impróprios e 48 próprios para banho

De 59 pontos do Litoral, apenas a Ponta da Pita, em Antonina, e os 10 locais de saída de rios, canais e galerias foram reprovados no primeiro Boletim de Balneabilidade da temporada, divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

A diretora de Monitoramento Ambiental e Controle da Poluição do IAP, Ivonete Coelho da Silva Chaves, explica a situação na Ponta da Pita: “Neste local há um lançamento de esgoto das comunidades que ficam próximas e muitas delas lançam em pequenos córregos da região”. Os outros pontos são rios, canais e galerias que estão destacados em letras maiúsculas no boletim. Além desses locais, no Litoral são monitorados 49 pontos de toda a orla, sendo 13 em Guaratuba, 14 em Matinhos, 11 em Pontal do Paraná, 6 na Ilha do Mel, 3 em Morretes e 2 em Antonina.

Monitoramento – As análises possibilitam verificar a contaminação por esgoto sanitário clandestino e fezes humanas e de animais de sangue quente, avaliando a possibilidade de uso da água para atividades de lazer de contato primário, ou seja, de contato direto e prolongado, como natação, mergulho, esqui aquático.

A avaliação é feita de acordo com a Resolução 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), considerando o resultado das análises de cinco amostras consecutivas, coletadas sempre nos dias de maior afluência do público.

As águas são consideradas próprias para banho quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, apresentarem no máximo 800 da bactéria Escherichia coli (E.coli) na água.

Serão consideradas impróprias quando no trecho avaliado for verificado o não atendimento aos critérios estabelecidos para as águas próprias ou caso o valor obtido na última amostragem nos pontos monitorados ultrapasse o valor de 2000 Escherichia coli.

Quanto maior a quantidade da bactéria na água, maior a possibilidade da existência de agentes patogênicos, que podem colocar em risco a saúde dos banhistas. “A água imprópria pode ocasionar problemas gastrointestinais, vômitos, diarreias”, lembra a diretora.

O risco de contaminação por esgotos domésticos é maior nos rios e canais e nos trechos de praia nas proximidades. Também há um aumento significativo nos índices de contaminação após chuvas intensas.

Sinalização – Como nos anos anteriores, o veranista pode se orientar de acordo com as bandeiras na orla das praias, nos rios e nos reservatórios, que indicam se os locais estão próprios ou impróprios para banho.

A sinalização aponta a condição da água a 100 metros à direita e à esquerda de cada bandeira. A cor vermelha aponta que a água não é recomendada e a azul que a região está própria para banho.

Leia também
Comentários
Carregando...