Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Projeto da UFPR resume questão social para os prefeitos do Litoral

Para o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, uma de suas prioridades do início de novo mandato é atender a população atingida pelos reflexos econômicos e sociais da covid-19. Em sua coluna semanal no Jornal de Guaratuba que começou a circular no sábado (9), ele voltou a tratar do assunto que havia citado em entrevista ao próprio jornal e na cerimônia de posse, no último dia 1º.

“Paralelamente ao nosso plano de governo, teremos grandes desafios, em especial na área social, pois a pandemia continua e os auxílios emergenciais findaram”, escreveu. “Vamos buscar formas de minimizar os efeitos deste problema que atinge, essencialmente, os mais vulneráveis”, disse Justus.

Um diagnóstico desta situação percebida pelo prefeito é mostrada em um projeto de extensão universitária do campus de Matinhos da Universidade Federal do Paraná. O projeto Inpro (Incubadora de Projetos Organizacionais e do Trabalho), do Curso de Gestão e Empreendedorismo da UFPR Litoral, está sistematizando e produzindo informações relativas ao ambiente produtivo e social da região litorânea. “O público-alvo das ações do projeto de extensão são trabalhadores proprietários de pequenos negócios, trabalhadores informais e desempregados”, explica a apresentação. Entre o outubro e dezembro, parte dos estudos foram resumidos em três boletins. Mais quatro documentos devem ser produzidos com um panorama mais amplo da questão social.

I Boletim INPRO

O primeiro boletim trouxe dados sobre o quadro de formalidade e informalidade, as atividades econômicas empregadoras, o perfil de emprego por sexo e por faixa de remuneração. No que se refere à escolaridade desses trabalhadores predomina o nível médio. “Evidenciou-se a expressividade do trabalho informal no mercado de trabalho na região, bem como a predominância do setor terciário na geração de empregos formais, que, por sua vez, remuneram abaixo da média estadual”, explica o resumo.

II Boletim INPRO

O segundo boletim traz um olhar sobre o perfil da população, com vistas a compreender o grau de vulnerabilidade social, que representa um dos fatores concretos para a ampliação do trabalho precário. Para tanto, além dos dados censitários e estimados da população, foi realizada uma síntese a partir do Cadastro Único (CadÚnico) que permite explicitar a participação dos pobres e dos extremamente pobres nesse recorte territorial.

III Boletim INPRO

A terceira edição do boletim é dedicada a analisar as medidas que foram implementadas desde marco de 2020, tendo em vista amparar as camadas mais frágeis da sociedade brasileira. “Nesse sentido, o boletim combina uma discussão sobre as medidas relativas ao tema, nas diversas esferas da federação, além de trazer à tona dados relativos a transferências de benefícios, em particular, do Auxílio Emergencial”.

Com informações do Jornal de Guaratuba e UFPR Litoral

Leia também
Comentários
Carregando...