Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Portugal pode ser porta de entrada do couro de peixe de Guaratuba

Um grupo de empresários e designers de moda portugueses vai adquirir peças de couro de peixe produzidos em Guaratuba pela Associação Ryo & Mar. Eles já demonstraram interesse em ser os representantes do produto para toda a Europa.

O grupo esteve neste sábado (27) em Guaratuba a convite da vice-presidente da associação, Angela Sfendrych, e foi recebido pelo vice-prefeito Vandir Esmaniotto, que também é secretário de Turismo e Cultura. Vandir, é claro, “vendeu” Guaratuba como destino turístico, com destaque para o aspecto ambiental, que foi o que mais impressionou os visitantes.

Angela conheceu pessoalmente os empresários, que ela já havia contatado pela internet, durante um evento de moda portuguesa e brasileira “PT.BR”, realizado na quinta-feira (25), em Camboriú (SC). Os portugueses trouxeram calçados e assessórios de luxo, a chamada alta moda. Os contatos começaram no ano passado, quando Angela enviou algumas amostras para o proprietário e designer Paulo Jorge Pereira, da marca Saccus, da cidade do Porto. A Saccus vai usar o couro de peixe inicialmente na produção de bolsas. Outra marca portuguesa já demonstrou interesse.

Fileteiras e pescadores

Paulo Pereira veio a Guaratuba acompanhado de Sandrina, produtora do evento que atua entre Lisboa e Paris e Juliana Santos, organizadora do evento em Camboriú. Eles puderam ver o trabalho das fileteiras que trabalham no Mercado de Peixe e que fornecem a pele, a matéria-prima do couro. Também conheceram o trabalho de produção do couro e ainda os aspectos sociais e ambientais do produto e as riquezas naturais e humanas da baía de Guaratuba. O fornecimento da matéria-prima conta com parceria da Colônica de Pescadores Z-7, de Guaratuba.

Além da beleza, originalidade e da durabilidade do couro de peixe, o interesse do mercado europeu é despertada pelo aspecto ambiental e social da cadeia produtiva. O couro é feito da pele, um subproduto que sempre foi descartado, mais um resíduo da pesca. A sua fabricação é um longo processo, da curtição ao tingimento. Por isto agrega um grande valor à matéria-prima, proporcionando uma renda extra para as famílias dos pescadores, sobretudo as mulheres.

Certificação

Conscientes do valor comercial/ambiental do produto, a Associação Ryo & Mar, vem aperfeiçoando os métodos para reduzir ao mínimo os impactos da fabricação. Com apoio da Secretaria Municipal de Pesca e Agricultura de Guaratuba, vem seguindo normas e procedimentos necessários para a certificação junto ao Ministério da Agricultura para exportação – por ser um subproduto da pesca e das comunidades dos pescadores.

Além de Portugal, Angela já fez contatos com empresários da Alemanha, que aprovaram o produto. A prioridade agora são só portugueses e a possibilidade de tê-los com representantes para a Europa. De acordo com Angela, e retornarão a Guaratuba em outubro para, possivelmente, fechar um acordo. A associação hoje tem seis componentes, todos trabalhando nas suas próprias produções e será um desafio atender a possível demanda.

Leia também

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More