Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Baía da Babitonga registra 15 toninhas mortas em 30 dias

Toninha é um golfinho de pequno porte – Foto: Univille

A equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Univille encontrou, na semana passada, mais duas toninhas mortas na Baía da Babitonga.

O aparecimento da espécie de golfinho Pontoporia blainvillei no interior de baías não é comum, e por isso o aparecimento dos espécimes mortos chama a atenção, já que a Babitonga é a única baía na região de ocorrência das toninhas – costa do Espírito Santo, no Brasil até o norte da Patagônia, na Argentina – que mantém uma população residente com 50 indivíduos.

“A morte destes dois animais representa uma preocupação em relação à extinção da população, afinal cada animal é importante quando o grupo é tão pequeno”, reforça a Dra. Marta Cremer, bióloga e coordenadora do projeto da Universidade da Região de Joinville (Univille).

Além das duas toninhas encontradas no interior da baía, outras 9 foram encontradas mortas nas praias dos municípios de Itapoá, Barra do Sul e São Francisco do Sul – área onde é realizado o monitoramento diário das praias pela Univille – nos últimos 8 dias. Já, dentro do mês são 15 indivíduos da mesma espécie encontrados mortos no litoral norte catarinense.

“O aumento da ocorrência de toninhas foi significativo no último mês e em sua maioria a causa da morte está relacionada com o afogamento por emalhe acidental em redes”, explica o veterinário do PMP-BS, Guilherme Guerra Neto.

Um dos animais, encontrado no bairro Paulas, foi trazido para a base da Univille onde foi feita a necropsia. A suspeita clínica é de que a causa da morte tenha sido afogamento. Contudo, amostras foram coletadas e encaminhadas à laboratórios especializados para confirmar este diagnóstico inicial ou identificar a ocorrência de alguma doença. A outra toninha foi vista na Vila da Glória mas quando a equipe chegou ao local para coletar a carcaça, a maré já a havia levado.

A toninha é ameaçada de extinção no Brasil desde 2003 e em 2014 foi classificada na categoria “criticamente em perigo” considerada o maior nível de ameaça das espécies.

A população pode ajudar no trabalho do PMP-BS entrando em contato ao encontrar animais marinhos mortos, ou vivos que estejam debilitados e precisando de atendimento. Os telefones para contato são o 0800-642-3341, (47) 3471-3816 ou (47) 9212-9218.

 

Projeto de Monitoramento de Praias – Bacia de Santos

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade dentro do licenciamento ambiental federal do Pólo Pré-Sal da Bacia de Santos pela Petrobras, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e mortos.

Fonte: Univille

 

Leia também
Comentários
Carregando...