Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Fauna vitimada ganha novos espaços para atendimento

Foto: Divulgação IAT

Um gavião foi resgatado nesta terça-feira (6) pela equipe do Instituto Água e Terra (IAT) e está sendo cuidado por veterinários de uma instituição privada de ensino superior. Foram avaliadas as asas, pernas, bico, visão, condições das penas e prováveis lesões. Em seguida, foram realizados exames clínicos com coleta de sangue e fezes, ultrassom e radiografia para um checkup completo.

O animal não apresentou lesões, mas entrou no hospital com quadro de estresse. Recebeu tratamento adequado e já mostra avanços para ser devolvido ao seu habitat natural. Todos os procedimentos são necessários para verificar se o animal necessita de tratamento clínico. Após isso, suas habilidades naturais de caça serão testadas para que possa ter o retorno à natureza.

O resgate aconteceu em Cascavel, no Oeste do Paraná, e o atendimento é feito na Clínica Veterinária da Univel, que é um novo Centro de Apoio de Fauna Silvestre (Cafs). Em um mês de parceria, o IAT encaminhou ao Cafs Univel quatro animais para atendimento – uma gaivota, uma caturrita e dois gaviões.

A instituição faz parte das parcerias firmadas pelo IAT com o objetivo de dar o melhor atendimento a animais silvestres de maneira regionalizada por todo o Estado. Atualmente, cinco Cafs foram criados e outros seis estão em fase de implantação. No Litoral, a parceria será feita com o campus de Paranaguá da Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

De acordo com o IAP, os animais resgatados são, a maioria, vítimas do comércio ilegal, tráfico, cativeiro irregular e maus tratos. “Essas parcerias são inéditas no País por parte de um órgão ambiental estadual. O atendimento à fauna do Paraná está recebendo uma gestão diferente e esse serviço vai ficar para a história do Estado”, afirmou o diretor de Licenciamento e Outorga do IAT, José Volnei Bisognin.

Ao encontrar animais, o indicado é não se aproximar, nem tentar ajudar, e acionar o Escritório Regional mais próximo. Os técnicos capacitados irão até o local para fazer o resgate e também passam orientações sobre os procedimentos.

“Animais como gavião, cobras e felinos podem apresentar riscos em situação de estresse. Por isso, é preciso acionar profissionais capacitados para o resgate”, afirmou o Paulo Figueira, coordenador do curso de Medicina Veterinária da Univel e responsável pelo convênio com o IAT.

Segundo a bióloga Paula Vidolin, chefe do Setor de Fauna do IAT, a implantação de uma rede de Cafs é uma das principais iniciativas pró-fauna. “Os Cafs, assim como os Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres) são de extrema importância como suporte às ações de fiscalização ambiental, mas principalmente para a fauna vitimada, pois garantem os cuidados necessários como assistência médico- veterinária aos animais apreendidos ou resgatados pelo órgão”, completou a bióloga.

Caf e Cetas implantados no Estado:

  • Curitiba – parceria com a prefeitura
  • Londrina – parceria com a Unifil
  • Guarapuava – parceria com a Unicentro
  • Cascavel – parceria com a Univel
  • Mauá da Serra – parceria com o Instituto Monte Sinai
  • Ponta Grossa – parceria com o Instituto Klimionte (Ceta Campos Gerais)

Cafs e Cetas em processo de implantação/ estabelecimento de parceria:

  • Curitiba e Região Metropolitana (Cetas Metropolitano)
  • Maringá – parceria com a Unicesumar
  • Cornélio Procópio – parceria com a prefeitura e o Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem
  • Todelo – parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Foz do Iguaçu – parceria com o Instituto Aves da Mata Atlântica
  • Litoral – parceria com a Unespar

Fonte: Sedest

Leia também
Comentários
Carregando...