Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Cidades históricas vão se unir para conquistar verbas

A prefeita de Guaratuba, Evani Justus, e outros prefeitos de cidades históricas do Paraná vão criar projetos em conjunto para conquistarem verbas para a preservação histórica e cultural.

Evani participou no último dia 5, de um encontro na cidade da Lapa, promovido pela prefeitura do município e teve a participação do ex-deputado federal Angelo Vanhoni.

O encontro foi no Theatro São João e também contou com a presença de prefeitos e representantes das cidades de Antonina, Castro, Irati, Rio Negro e Tijucas do Sul, além de representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Coordenação do Patrimônio Cultural do Estado do Paraná, da Fundação Cultural de Curitiba e do gabinete da vice-governadora do Paraná. Todos assumiram o compromisso de dar continuidade ao debate e formular propostas que contribuam para a preservação e conservação do patrimônio histórico e cultural das cidades do Paraná.

“Os municípios, os estados e o país, precisam de novas políticas públicas para a preservação do patrimônio histórico e cultural”, salientou Vanhoni.

“As políticas de patrimônio histórico no nosso país são passivas, elas praticamente inexistem porque não tem dinheiro, não se alocam recursos. Não é apenas o governo atual, isso tem acontecido em todos os governos. E em todas as esferas. Em nível municipal, estadual, e no governo federal é a mesmíssima coisa”, analisou.

Vanhoni lembrou que o governo federal criou há alguns anos o Programa Monumenta, que a presidente Dilma desdobrou no PAC Cidades Históricas. “Pela primeira vez houve um olhar de que precisamos ter uma política para as cidades históricas do nosso país. O dinheiro é pouquíssimo, dá pra fazer pouca coisa, mas diante do que não tinha antes a gente tem que comemorar. Só que essa comemoração não pode ser indutora de a gente ficar satisfeito, porque falta recurso mesmo”, disse.

O ex-deputado também defendeu a formação da noção de memória, de patrimônio histórico a partir das crianças. “Daí a importância da educação para a preservação da memória, a importância da educação artística”, afirmou.

“Em Guaratuba, por exemplo, as crianças podem ser levadas pela escola municipal lá onde tem a colônia de pesca. Então, elas vão conhecer como é o barco, como é a rede, como é que a mulher faz a rede, como é que os pescadores saem, quanto ganham com aquilo, como é que trabalham, como voltam da pesca. As crianças vão ter contato com a vida da cidade e a partir daquela experiência elas podem criar os conteúdos educacionais que dizem respeito ao seu desenvolvimento. Ali você pode aprender a matemática, pode aprender a geografia, a história, pode aprender uma porção de matérias ligadas àquela atividade produtiva.

Como resultado do encontro, a prefeita Evani Justus já está articulando ações conjuntas com os demais municípios históricos e a integração entre técnicos municipais na elaboração de projetos.

Segundo a prefeita Leila Klenk, o protagonismo da cidade para unir os municípios se deu por causa da preocupação com a preservação histórica. “Se a Lapa se unir com outras cidades seremos mais fortes na busca por recursos”, completa a prefeita.

Redação do CorreidoLitoral.com com informações de Angelo Vanhoni e Prefeitura da Lapa
Foto: Prefeitura da Lapa
Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...