Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná
Matinhos abril 24 Curtiu a Diferença 1170 250 busao

Guaratuba fecha período sazonal com a maior incidência de dengue do Litoral

Foto: Sesa

No último informe epidemiológico semanal da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) sobre a dengue do período sazonal 2022/2023, foram confirmados 3.794 novos casos em todo o estado do Paraná, uma nova redução, desta vez de 23%. Também houve 2 óbitos, contra 6 na semana passada.

No Litoral, foram 781 novos casos, número elevado para essa época, mas uma queda de 29% em comparação com a semana anterior.

Pela quarta semana consecutiva, o maior número de confirmações aconteceu em Guaratuba. Com 381 novos registros e 3.580 casos já confirmados, a cidade termina o período epidemiológico com a maior incidência na região: são 8.284 confirmações para cada 100 mil habitantes, um dos mais altos em todo o Estado. De acordo com a Sesa, Guaratuba tem 11.152 casos prováveis / 100 mil. Ou seja, mais de 11% da população de Guaratuba pode já ter contraído dengue.

No informe semanal, após Guaratuba vêm Pontal do Paraná (com 167 novos casos), Matinhos (131), Paranaguá (101) e Antonina (1). Guaraqueçaba e Morretes mais uma vez não tiveram registros de dengue.

No período 2022/2023, Paranaguá, a cidade mais populosa, teve mais casos em números absolutos (4.246). Na sequência – após Guaratuba – vêm Matinhos (2.497), Pontal do Paraná (1.039), Guaraqueçaba (208), Antonina (132) e Morretes (39). O Litoral fechou o período epidemiológico de um ano com 11.741 casos confirmados.

Novo período

A Sesa encerrou neste último informe, o chamado período epidemiológico da dengue, ou período sazonal de 12 meses. Para o novo período sazonal, que iniciou em 30 de julho e vai até 27 de julho de 2024, a Sesa já definiu algumas ações. 

Serão realizadas oficinas de trabalho para elaboração dos planos de contingência municipais nas regionais que apresentaram condição epidemiológica mais crítica no período de 2022/2023. O Litoral é uma destas regiões.

Está programado também a capacitação das equipes regionais de vigilância epidemiológica, que multiplicarão o conhecimento e informações junto aos municípios sobre a notificação dos agravos de transmissão vetorial para a dengue e outras doenças como zika, chikungunya, febre maculosa, chagas e leishmanioses.  

A dengue é uma doença endêmica, tem casos durante todo o ano, mas o período de maior concentração de casos notificados tem início em outubro e vai até maio.

Leia também