Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Projeto cria biblioteca para os presos de Guaratuba

Nesta terça-feira (30) os presos da Delegacia de Guaratuba receberam 317 livros de um projeto que pretende mudar a rotina na carceragem e incentivar a ressocialização.

O projeto “Páginas da Liberdade” foi idealizado pela Defensoria Pública do Estado em Guaratuba. “Com a visita do Conselho da Comunidade, foi averiguada a situação de ociosidade dos presos e surgiu essa ideia de fornecer livros para a leitura dos encarcerados. Daí, partiu a ideia, que surgiu com a Defensoria Pública, através da minha equipe, a técnica administrativa Aldenise Costa de Carvalho e a assistente social Cláudia Regina Marin, nos reunimos com o delegado que foi muito solicito, participativo e nos apoiou nessa ideia”, conta o defensor público Evandro Satiro.

A arrecadação dos livros começou no dia 1° de outubro. A Faculdade Isepe tornou o “Páginas da Liberdade” projeto de extensão e doou 130 livros. O Núcleo da Cidadania e Direitos Humanos (NUCIDH), também contribui fazendo a articulação com a Fundação Cultural de Curitiba, conseguindo mais de 100 livros para o acervo. O Conselho da Comunidade de Guaratuba, assim como a Delegacia de Polícia Civil de Guaratuba e a comunidade local também apoiaram o projeto.

“No total, temos para entregar hoje 317 livros como obras literárias para que eles leiam, façam síntese, resumos, e que possa contribuir com uma possível ressocialização,” disse Aldenise Carvalho.

Cláudia Regina Marin acredita que seja importante a aproximação da Defensoria com outros órgãos que fazem o atendimento da população carcerária. “Sabemos que essa população é muito marginalizada e são poucas as ações em que vemos a sociedade se engajando nesse tipo de projeto. Então é importante a Defensoria assumir esse papel de estar defendendo os direitos e proporcionando uma qualidade dentro da carceragem para tentar essa questão da ressocialização, que é tão falado, mas vemos poucas ações nesse sentido.”

Para o delegado Leandro Stabile a intenção é criar uma rotina nova para os presos. “Criar esse hábito neles incentivando a leitura e preencher o tempo deles com uma terapia ocupacional, desenvolvendo esse bom hábito dentro da carceragem.”

O presidente do Conselho da Comunidade de Guaratuba, o advogado Jeferson Honorato Moro, também esteve na entrega dos livros para a biblioteca da cadeia e comentou a expectativa da Instituição: “Esperamos que neste primeiro momento, a leitura substitua a ociosidade da população presa e para um segundo momento, quem sabe, conseguimos abater os dias da pena através da leitura.”

O diretor da Isepe, Luiz Michaliszyn, comenta da participação da Faculdade no projeto: “É um projeto muito relevante para toda a comunidade. Vem ao encontro aos propósitos e função social da Faculdade que é disseminar conhecimento. Nada como distribuir livros. Importante destacar o papel desta ação também na reutilização dos livros. No momento em que o conteúdo digital está cada vez mais presente, publicações impressas que estão em fase de desuso, mostram-se viáveis para a utilização da população carcerária e acabam ganhando novo destino.”

Fonte: Defensoria Pública do Estado do Paraná

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...