Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Guaratuba fecha 2018 com melhora rara na segurança

Delegado Leandro Stabile e capitão Luciano Romão vão à Câmara de Vereadores falar sobre indicadores de segurança antes da Operação Verão

A qualquer momento você pode ser parado por uma barreira da Polícia Militar numa rua de Guaratuba. Se isso acontecer, não se surpreenda se o próprio comandante da PM telefonar depois para você e perguntar como foi a abordagem, qual sua opinião sobre a ação e sobre o comportamento dos policiais.

A Operação Barreira acontece pelo menos uma vez por dia em um lugar diferente (a pesquisa é feita por amostragem). Além de eventuais prisões em flagrante ou de pessoas com mandados em aberto, as operações servem para inibir o crime e desestimular criminosos que vem de fora para cometer roubos e assaltos na cidade.

Essa é uma das novidades no policiamento de Guaratuba que em pouco tempo já vive uma redução significativa na sensação de insegurança. A criminalidade ainda é um dos principais problemas da cidade de pouco mais de 35 mil habitantes e recentemente aconteceram diversos assaltos a lojas do Centro em plena luz do dia, o que era incomum.

No último deles, dia 7 de novembro, os bandidos foram flagrados já na calçada por câmeras de segurança da Prefeitura e seguidos por um policial até que foram presos no Posto da Polícia Militar Rodoviária na saída da cidade.

Mesmo tendo virado notícia nacional negativa por causa da filmagem e divulgação de imagens de mulheres na praia, as câmeras de monitoramento da Prefeitura são apontadas como um dos principais fatores da redução dos crimes.

Queda no ranking de homicídios

Há anos, Guaratuba ostenta a condição de uma das cidades mais violentas do Paraná. Em 2017, os dados oficiais da Secretaria e Segurança apontam que houve 24 homicídios dolosos (quando há intenção de matar). Dados da Polícia Civil de Guaratuba mostram que houve 31 homicídios na cidade. Nas duas estatísticas, a cidade está em primeiro lugar no ranking da violência entre os sete municípios do Litoral, com 67 ou 86 homicídios para cada 100 mil.

Neste final de ano, o principal tema de segurança nas redes sociais foi a apreensão gerada pelo aumento do número de pessoas em situação de rua que chegam na cidade em comparação com verões anteriores.

Faltando duas semanas para acabar o ano, houve “apenas” 16 assassinatos, ainda um número epidêmico – a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera “zonas epidêmicas” aquelas com taxas superiores a 10 assassinatos por 100 mil habitantes. Com 36.595 habitantes (estimativa IBGE para 2018), estamos com 44/100 mil, mas já perdemos o posto de cidade mais violenta per capita para Matinhos e Pontal do Paraná.

Novo delegado e comandante inauguram fase positiva

As mudanças começaram em março deste ano com a chegada do novo delegado da Polícia Civil, Leandro Alberto Albuquerque Stabile, e se intensificaram em julho, com a criação da 3ª Companhia da Polícia Militar sob comando do capitão Luciano José Ribeiro Romão.

O jovem delegado de 34 anos impôs novo ritmo de trabalho nas equipes e priorizou as atividades de investigação. O resultado pode ser conferido em números que o próprio delegado apresenta sobre crimes elucidados e que serão mostrados na Câmara de Vereadores.

Capitão Romão ainda não consegui o aumento do efetivo que faz parte da transformação do antigo Destacamento para uma Companhia. Mas já mudou a realidade no quartel e isso ele vai explicar para a população.

Delegado e capitão farão explanações sobre a segurança de Guaratuba na última sessão da Câmara em 2018, nesta segunda-feira (17), a partir das 20h.

Na sexta-feira seguinte, dia 21, começa a Operação Verão, com reforço imenso nos efetivos policiais no Litoral, sobretudo nas cidades balneárias.

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...