Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Advogados de pescadores do Litoral são presos em Curitiba

viatura-levi-andradeA Polícia Civil prendeu na tarde desta quarta-feira (25), em Curitiba, os advogados Levi de Andrade e Jorge Luiz Mohr.

Os dois atuam no caso dos pescadores do Litoral do Paraná que buscam na Justiça indenização no caso do rompimento do Poliditudo Olapa e do acidente com o navio Norma, ambos em ocorridos em 2001.

Para vários jornalistas, a assessoria de imprensa da Polícia Civil disse que só confirmaria os nomes dos detidos durante a entrevista coletiva que acontecerá na tarde desta quinta-feira. As imagens em frente ao escritório de Levi Andrade e os mandados de prisão publicado no jornal “Eco Paranaguá & Litoral” não deixam dúvidas.

Ao repórter Oswaldo Eustáquio, da Gazeta do Povo, a polícia adiantou que a prisão foi realizada pela delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC).

Gazeta do Povo

No mês de abril, a Gazeta do Povo publicou uma série de reportagens que revelou que pelo menos 18 pescadores não receberam os valores referentes as suas indenizações. Os valores foram sacados no banco pelos procuradores, mas o dinheiro não chegou as mãos dos pescadores.

Após as denúncias, dezenas de pessoas se dirigiram ao Ministério Público (MP), para reclamar que também não receberam suas devidas indenizações. O MP abriu procedimento investigatório contra advogados de dois escritórios de advocacia e foram registrados na delegacia de Polícia Civil de Paranaguá pelo menos 50 novos boletins de ocorrência.

Processos

Os processos milionários que envolvem este caso causaram uma série de acusações entre os escritórios de advocacia envolvidos, que respondem também a processos disciplinares na Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná (OAB-PR).

 

Operação Arrastão

Delegado Marcelo Lemos de Oliveira – Foto: Carlos Soares/Polícia Civil
Delegado Marcelo Lemos de Oliveira – Foto: Carlos Soares/Polícia Civil

Nesta quinta-feira (26) a Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) falou das prisões e das buscas em escritórios de advocacia realizadas em Paranaguá e Curitiba, que levou o nome Operação Arrastão.

O delegado-titular da DEDC, Marcelo Lemos de Oliveira, confirmou os nomes dos advogados Levi de Andrade, 54 anos, e Jorge Luiz Mohr, 62 anos. A policía acrescentou que Andrade é agente aposentado da Polícia Federal.

“Eles utilizavam meios ilegais de captação de clientes de outros escritórios de advocacia, com o intuito de obtenção de vantagem patrimonial ilícita”, afirmou o delegado.

Oliveira explicou que os acusados assediavam as vítimas de acidentes ambientais, formados principalmente por pescadores dos municípios de Paranaguá, Antonina, Morretes, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba, através de palestras, cultos evangélicos e reuniões em centros comunitários e vilas de pescadores.

“As promessas feitas eram de aumentar o valor das indenizações fixadas pela Justiça e agilização no pagamento. O grupo estava agindo desde meados de 2013. Estima-se, inicialmente, que o golpe está em torno de R$ 2 milhões”, afirmou o delegado, destacando que centenas de procurações foram apreendidas nos escritórios.

Com informações de Oswaldo Eustáquio / Gazeta do Povo
Foto: Eco Paranaguá & Litoral
Leia também
Comentários
Carregando...