Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Delegado de Guaratuba alerta sobre golpes e ensina como evitá-los

Ouça a notícia

Jornal de Guaratuba – Em 2019, foram registrados no Litoral 1.100 boletins de ocorrência de estelionato, sendo 206 em Guaratuba. Só até julho de 2020, já houve 916 casos na região, dos quais 168 registrados em Guaratuba. Um aumento de quase 50% quando considerados os meses de apuração, revelou o delegado titular da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil, Leandro Stabile.

De acordo com o delegado, o maior número de casos foi relacionado a golpes via whatsapp – quando o estelionatário se passa por outra pessoa para pedir depósitos aos amigos dela.

– A Polícia Civil recomenda a todos os usuários do aplicativo que passem a utilizar a autenticação de dois fatores – função disponível no próprio aplicativo como ferramenta de segurança. E que não realizem depósitos na conta de terceiros sem antes confirmar a solicitação da vítima por outro meio que não seja o whatsapp.

Boletos falsos

Em outro caso comum, o golpista emite um boleto fraudulento à vítima que aparenta ser uma dívida real. Quando efetua o pagamento o crédito é direcionado a uma terceira pessoa, geralmente com uma conta fria, o que dificulta a recuperação do valor pago.

– A Polícia recomenda tratar os credores apenas pelos canais oficiais das empresas – sites oficiais e agências bancárias. Não aceitar propostas encaminhadas por whatsapp ou SMS quando não for possível confirmar a origem dos chamados.

“Registramos uma queda nos golpes envolvendo maquinetas de cartão de crédito ou débito”, informou Stabile. Nesse golpe, os estelionatários, geralmente vendedores ambulantes, oferecerem produtos na rua, de porta em porta e solicitam o pagamento via cartão de crédito. No momento do pagamento, simulam falha no equipamento e acabam se apossando da senha e dados do comprador, ocasião em que creditam valores superiores à compra. Muitas vítimas ainda questionam a qualidade dos produtos oferecidos.

– A Polícia Civil recomenda muita cautela com relação a este tipo de comércio, certificar-se com relação aos produtos adquiridos e sempre que possível realizar o pagamento em dinheiro. A venda por ambulantes deve seguir normas municipais de atuação e está sujeita à fiscalização local.

“Por fim, existem golpes como o do bilhete premiado que focam principalmente em vítimas idosas e saques indevidos no auxílio emergencial – situação que deve ser tratada imediatamente com a agência bancária onde se deu a situação”, orienta o delegado.

Golpe de venda de imóveis

No final de agosto, o delegado Leandro e a equipe da 8ª DRP, atendeu uma ocorrência de um golpe envolvendo compra de imóvel. Um casal de Santa Catarina estava comprando um terreno no balneário Brejatuba e momentos antes de fechar o negócio verificou que o documento apresentado pela vendedora não correspondia ao original constante na Secretaria de Urbanismo de Município e no Registro de Imóveis. Como a vendedora não soube explicar, chamaram a Polícia.

Na Delegacia, foi confirmada a falsificação do documento e a tentativa de golpe. A vendedora, de 42 anos, foi presa em flagrante e depois foi solta para responder à Justiça em liberdade.

Leia também
Comentários
Carregando...