Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Prefeito de Matinhos cobra providências sobre lentidão na duplicação da JK

A situação das obras de duplicação na avenida JK vem incomodando  a população de Matinhos e os visitantes que cruzam a via de acesso a Caiobá ao ferry boat. A lentidão do serviço e os transtornos causados são motivo de reclamação. Atualmente, os veículos vêm trafegando em meia-pista. E como o fim de ano – período em que tradicionalmente o movimento na cidade aumenta – está chegando, a previsão é de que os incômodos causados pela obra sejam maiores.

“Eu vejo oito, no máximo dez pessoas trabalhando numa obra daquele tamanho. E até agora não tem um metro de canalização num pedaço de 200 metros. Eu venho avaliando isso desde dezembro do ano passado. Nós estamos agora em agosto. Vai chegar o mês de dezembro e eles vão estar no mesmo trecho e com o mesmo problema. E nós com o problema das nossas vias públicas secundárias todas avariadas por conta do desvio feito sem autorização da Prefeitura”, disse o prefeito Zé da Ecler.

De acordo com o prefeito, somente nos reparos nas ruas da Lapa e Guarapuava, atualmente usadas como desvio, a Prefeitura já gastou mais de 20 mil reais. “Fizeram aquele desvio sem autorização, deteriorando as ruas. A Secretaria de Obras já teve que consertar diversas vezes o trajeto. E já está destruído de volta, por conta dos caminhões pesados que têm que fazer o desvio por ali,” afirmou Zé da Ecler.

Recentemente, o prefeito quis marcar uma reunião com a construtora, alegando que só responderia ao DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná). “Eles só se manifestam se o DER estiver presente. É uma obra dentro do município em que nós não temos ingerência nenhuma. É estranho isso. O município tem que ter autonomia total das obras que acontecem dentro da cidade, mas a construtora só vem acatando as decisões tomadas pelo DER”, contou o prefeito.

Zé da Ecler ainda informou que a Prefeitura já notificou a construtora. Vencendo o prazo da notificação, será gerada uma multa à empresa. O prefeito também diz que se a construtora não se adequar, existe a possibilidade de ser pedido o embargo da obra.

Zé da Ecler resumiu a situação dos trabalhos na JK. “É uma obra totalmente mal-pensada”, disse ele, se referindo ao gargalo gerado no meio da avenida, que é a principal via de acesso à Guaratuba.

Leia também
Comentários
Carregando...