Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Requião Filho cita exemplo da Ponte de Guaratuba e pede debate elevado na Assembleia

Deputados estaduais precisam assumir o protagonismo das discussões realmente sérias do Estado, disse Requião Filho.

Deputado na tribuna da Alep, nesta quarta (18) | foto: Eduardo Matysiak

Afirmando estar cansado de ouvir discursos baseados em fake news, que disseminam o ódio e o radicalismo, e do baixo nível em debates na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), repletos de xingamentos e agressões, o deputado Requião Filho (PT) conclamou hoje (18), os parlamentares, a “elevar o nível das discussões no Poder Legislativo”. Para o parlamentar, os deputados precisam assumir o protagonismo das discussões realmente sérias do Estado, além de cumprir o dever constitucional de fiscalizar o governo e exigir transparência nos gastos públicos.

Pontal 40 milhões

Um exemplo, para Requião Filho, é a construção da Ponte de Guaratuba. A licitação da obra foi suspensa pela Justiça Federal por falhas no projeto e, nos últimos dias, o Ministério Público Federal emitiu parecer favorável à manutenção dessa suspensão.

“Pesquisas mostram que 88% dos paranaenses querem a ponte de Guaratuba, mas o Ministério Público Federal coloca no parecer que solicitou a suspenção do licenciamento que ‘não se pretende inviabilizar a realização da obra, mas sim obrigar a cumprirem com as determinações legais’. É sobre isso que a Assembleia deveria estar discutindo. O procedimento licitatório foi correto? O projeto está adequado? A infraestrutura para a ponte está prevista? O tráfego de caminhões está previsto?”. 

Para o deputado, que também é favorável à construção da ponte, antes de começar a obra é preciso que o projeto esteja de acordo com as normas, com as leis, e isso precisa ser fiscalizado pelo parlamento, para que não traga prejuízos irreversíveis no futuro. 

Segundo Requião Filho, a privatização da Copel; mudanças na Sanepar; enfrentamento a desastres naturais; e a melhoria nos serviços públicos, como segurança, educação e saúde; deveriam estar no centro da pauta dos debates na Assembleia.

“Nós deveríamos estar discutindo os desdobramentos da privatização da Copel, as alterações na lei que afetam a Sanepar, a falta de funcionamento do DER-PR e a qualidade do ensino público. Deveríamos estar discutindo como socorrer os municípios que sofreram com enchentes, seca, temporais”.

Ele ainda cobrou que os parlamentares cumpram o dever constitucional de fiscalizar o Poder Executivo e exigir transparência nos gastos públicos.

“Da ponte, ao hospital. Da escola ao quartel. Do currículo apresentado em sala de aula, aos assuntos debatidos aqui na Assembleia. O que buscamos é transparência. Tudo o que envolve dinheiro público deve ser transparente. Acho que não é pedir muito. Acho que se a ponte é o anseio de 88% da população, a transparência com dinheiro público será o anseio de 100%. Nosso principal trabalho é fiscalizar. Como, quando e onde o dinheiro público foi gasto. Se trouxermos este debate para esta Casa, tenho certeza de que quem ganha é todo o Paraná”.

Ainda esta semana, o deputado cobrou o cumprimento do regimento, na Assembleia Legislativa, para todos os deputados igualmente. 

“Diversas vezes vimos aqui discursos acalorados, com deputados chamando os outros de ‘mentirosos’ e proferindo outras ofensas em busca de likes, seguidores e para ‘causar’ nas redes sociais. Mas lembramos que o regimento, aqui dentro, deve ser aplicado para todos, igualmente, não só para o Renato”, declarou o líder da oposição, se referindo ao pedido de cassação do deputado Renato de Freitas (PT).

Assista na íntegra: https://youtu.be/w04g2iFSw-o

Leia também

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More