Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Caminhar vendo flores

Carta 204. Sem lenço sem documento

Como é prazeroso caminhar sem rumo pelos bairros bem arborizados das cidades. Ainda mais na estação fria: é muito bom de andar sem suar, sem lenço. A peculiaridade do inverno é que em cada passeio se encontre alguma espécie adicional abrindo as primeiras flores da nova temporada.

No Paraná, o número de plantas que tipicamente inicia sua florada no inverno é grande e, destas espécies, uma parte considerável é exótica e procedente de regiões de clima temperado, muitas delas ocorrendo inclusive na minha terra natal, a Holanda.(a)

Entre as plantas nativas do Paraná, os gêneros com o maior número de espécies iniciando sua florada no inverno são Handroanthus (ipês), Mikania (micânias e guacos) e Solanum. Em Curitiba, além dos tapetes de flores caídas dos ipês, chama atenção no inverno a florada de outra árvore espetacular, Tibouchina sellowiana (manacá-da-serra), cujas flores são brancas ao abrir, depois se tornam rosáceas e são violáceas na fase final. Esta característica, de flores mudando de cor, a espécie divide com seu congênere T. pulchra (jacatirão), muito abundante no litoral e com flores do fim da primavera ao fim do verão, não no inverno. As duas espécies são parecidas, mas em T. sellowiana as folhas têm três nervuras primárias e, nas flores, o estilete é glabro ou subglabro, enquanto em T. pulchra as folhas têm cinco nervuras primárias e o estilete é densamente piloso (Chiea 1990, Martins et al. 2009, Meyer et al. 2010, Wurdack 1962).(b) Além disso, as folhas de T. sellowiana são um pouco mais curtas do que em T. pulchra.

No litoral paranaense, as espécies de Mikania estão entre as principais plantas nectaríferas para borboletas no inverno. Na mesma estação, para os beija-flores, são importantes no litoral, além do nativo mulungu (Erythrina speciosa), uma grande variedade de plantas exóticas: Bauhinia variegata, Dombeya, Hibiscus, Malvaviscus, Megaskepasma, Musa, Schefflera actinophylla, Spathodea e Thunbergia grandiflora. Em Curitiba, os beija-flores visitam no inverno a bracatinga (Mimosa scabrella), a gravatá Aechmea distichantha e, provavelmente, também a abundante coerana (Cestrum bracteatum), além das exóticas Citrus e Eucalyptus

Quem pensa que o inverno é uma estação pobre em flores e frutos está enganado. Neste inverno tenho visto um total de 502 espécies floridas e/ou frutificando, a saber, 432 espécies com flores e 151 com frutos. Foi uma surpresa para mim constar que, deste total, menos que a metade é nativa! Das espécies, 234 são do Paraná, 23 procedem de outras partes do Brasil e 245 são do exterior. (A listagem das espécies será apresentada na minha próxima circular: “Flores e frutos no inverno, no leste do Paraná”.)

Escrevi esta carta principalmente para lhes fazer um convite. Gostaria que participassem de um “esporte” do qual eu sou adepto entusiasta há anos. Consiste em caminhar sem documento e anotar a data do começo da florada das espécies listadas no Apêndice 1. Além de ser um estímulo para sair da casa e observar as plantas com alegria alegria, este costume lhe manterá mais ligado aos fenômenos naturais que acontecem ao seu redor. Ao mesmo tempo, você contribuirá à ciência: as suas anotações fenológicas poderão ser usadas futuramente para quem busca indícios de uma mudança climática. No Apêndice 1 são incluídas as minhas próprias datas do início da florada do inverno de 2018. Sugiro que você imprima a lista e a pendure acima da sua escrivaninha, como lembrete para contribuir. Para você colaborar não é necessário conhecer todas as espécies: você preencherá somente aquelas que lhe são familiares.

Eu poderia criar um outro apêndice listando as plantas que encerram a sua florada no inverno. Naquela lista entraria a última observação da florada de uma dada espécie. Mas, obviamente, não é tão fácil saber que aquela flor será a última encontrada na estação. Uma das espécies a integrar este segundo apêndice seria o agapanto (Agapanthus africanus), procedente da África do Sul e que, no leste do Paraná, encerra a sua florada no início do inverno,(c) abrindo as novas flores somente no início da primavera. Há muitas outras plantas que iniciam a florada na primavera e a elas dedicarei outra carta, posteriormente.

Faltam poucos dias para as flores da guaçatunga (Casearia sylvestris) se abrirem por toda parte e então espalhar o cheiro de mel característico do começo da primavera. Também, as aves do verão estão chegando. Prestam atenção.

Saiba mais: https://www.andredemeijer.net/

Leia também
Receba nossa notícias em seu e-mail.
Inscreva-se para receber as últimas novidades e atualizações diretamente no seu e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
Comentários
Carregando...