Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Guaratuba esclarece uso de ivermectina contra covid

Município continuará seguindo protocolos reconhecidos e vai respeitar autonomia dos médicos. Anvisa alerta não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da doença.

A Secretaria Municipal da Saúde de Guaratuba emitiu nota para explicar o posicionamento do Município em relação ao uso da ivermectina, remédio para vermes, para combater a covid-19.

A polêmica surgiu depois que algumas prefeituras decidiram distribuir o remédio para a população como forma de prevenir a doença. Entre elas a Prefeitura de Paranaguá, que decidiu, nesta quinta-feira (9), que vai comprar 1 milhão de doses do medicamento. No estado de Santa Catarina, a prefeitura de Itajaí distribuiu o remédio em um ginásio de esportes e, depois de gastar R$ 4,5 milhões, foi cobrada pelo Tribunal de Contas de Santa Catarina para dar explicações.

A disseminação da Ivermectina, apoiada por muitos médicos, e duramente criticada por outros profissionais e por diversas instituições. Nesta quinta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota de esclarecimento:

Diante das notícias veiculadas sobre medicamentos que contêm ivermectina para o tratamento da Covid-19, a Anvisa esclarece:

Inicialmente, é preciso deixar claro que não existem estudos conclusivos que comprovem o uso desse medicamento para o tratamento da Covid-19, bem como não existem estudos que refutem esse uso.
Até o momento, não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da Covid-19 no Brasil.
Nesse sentido, as indicações aprovadas para a ivermectina são aquelas constantes da bula do medicamento.
Cabe ressaltar que o uso do medicamento para indicações não previstas na bula é de escolha e responsabilidade do médico prescritor.

Na nota de Guaratuba, a Secretaria critica notícia divulgada por rádio comunitária e destaca, em letras maiúsculas, que “NÃO HÁ NO MUNDO TODO, QUALQUER PROTOCOLO DE MEDICAMENTOS PARA PREVENÇÃO DA COVID-19!”.

Leia:

Quando a rádio faz afirmação de que Guaratuba não está aderindo a protocolo de prevenção, ela está enganando a população e é fácil saber que se houvesse tal protocolo todos os países já teriam conseguido prevenir a doença que há mais de seis meses vem matando milhares de pessoas mundo afora.

O que fazemos é agir com respeito e responsabilidade para com os cidadãos e com os recursos públicos. Basta ir à internet para se verificar que a ANVISA não aconselha ainda o uso da ivermectina, assim como o Conselho Regional de Farmácia do Paraná não aconselha. Por outro lado, Municípios que a tem adotado como possível medicamento de prevenção à COVID 19, têm recebido pedidos de esclarecimentos pelos Tribunais de Contas e Ministério Público quanto à comprovação científica de sua validade.

Guaratuba tem sempre buscado oferecer as melhores práticas para o enfrentamento da COVID-19 e mantém-se sempre atento às orientações da Secretaria de Estado da Saúde e Ministério da Saúde, o qual definiu no documento “ORIENTAÇÕES DO MINISTÉRIO DA SAÚDE PARA MANUSEIO MEDICAMENTOSO PRECOCE DE PACIENTES COM DIAGNÓSTICO DA COVID-19” que a prescrição de todo e qualquer medicamento é prerrogativa do médico, e que o tratamento do paciente portador de COVID-19 deve ser baseado na autonomia do médico e na valorização da relação médico-paciente que deve ser a mais próxima possível, com objetivo de oferecer o melhor tratamento disponível no momento.

Desta forma o Município busca garantir o fornecimento dos medicamentos prescritos. No caso da Cloroquina ela é fornecida pelo Ministério da Saúde para os estados, que por sua vez distribuem aos municípios, de acordo com um protocolo definido pelo próprio Ministério da Saúde. Os medicamentos Azitromicina e Ivermectina são adquiridos com recursos do Município.

Estamos momentaneamente desabastecidos do medicamento ivermectiva, pois o seu histórico de consumo em todos os anos pregressos foi extremamente baixo, e a alta demanda pelo medicamento tem tornado o processo de compra um grande desafio, contudo estamos em busca do reabastecimento no menor prazo possível, para neste momento mantermos o atendimento às prescrições específicas dos médicos que adotam esse medicamento no tratamento individualizado.

Cabe esclarecer que a Secretaria Municipal da Saúde vai continuar seguindo os protocolos reconhecidos para atendimento da Covid-19 no sentido de não adotar medidas controversas e, em relação ao uso da ivermectina, para uso profilático, sua adoção em massa não é aconselhável no momento, por não haver consenso sobre sua eficácia. Diante deste cenário é importante esclarecer que ainda a melhor medida de prevenção à COVID-19 é o isolamento e distanciamento social, acompanhado do uso de máscaras e cuidados de higiene.

Leia também
Comentários
Carregando...