Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Carta 242. Entre Itaqui e Ipanema do Norte

Ao lado esquerdo o arroz já está surgindo acima da água. Ao lado direito o arroz ainda precise ser semeado.
(12/11/2020; Guaraqueçaba, fazenda situada no km 2 da estrada para Itaqui; lavoura de arroz irrigado).

A estrada que conduz ao povoado de Itaqui tem 13 km de comprimento. Trata-se de uma via lateral da PR-405 e ela começa no km 28,9 daquela rodovia, logo após a ponte sobre o rio Trancado.

Ontem visitei a fazenda que fica em km 2 da estrada para Itaqui. O proprietário desta fazenda reside em São Francisco do Sul (SC) e eu não o conheço. Uma parte da fazenda consiste de pastagens e currais e é usada para a criação de búfalos. A outra parte, de 110 hectares, todos os anos é arrendada para produtores de arroz irrigado. O homem que cuida dos búfalos é de Joinville e mora na fazenda. Este ano, a área para cultivar arroz foi arrendada por um homem recém-casado, junto com seu pai. Eles também são de Joinville, onde continuam residindo.

Devido a uma pane com uma das máquinas e a longa distância que precisa ser percorrida para conseguir consertos, os homens estão atrasados no seu esquema de plantio. Apenas uma pequena parte da lavoura desta fazenda está semeada e lá as plantas do arroz já surgiram acima da água. Mas a maior parte da área ainda tem de ser nivelada antes que possa ser semeada. Ontem vi pai e filho trabalhando duro nesta atividade de nivelamento, cada um com seu trator.

Para quem gosta das aves, outubro e novembro são os melhores meses para visitar uma plantação de arroz irrigado, pois então o terreno se encontre alagado, o que atrai uma grande variedade de aves aquáticas e paludícolas. Ontem havia ali, dentro ou na margem do arrozal, um total de 28 espécies de aves, das quais o quero-quero e o pernilongo-de-costas-brancas foram as mais numerosas. Não observei raridades, mas a experiência de poder passar algumas horas numa paisagem como esta é fabulosa!

(André de Meijer, 16/12/2020 – Facebook 13/11/2020)

Confira a Carta 242 na íntegra

Leia também
Comentários
Carregando...