Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Futebol, patriotismo e cidadania

Então… o assunto da hora tem sido o escândalo das prisões de figurões do futebol internacional, acusados de corrupção, em plena assembleia geral da poderosa Fifa.

Vendo todo esse show de corrupção, subornos, manipulações de jogos e mentes, e dos políticos e grupos de mídia que estão envolvidos, a gente chega a algumas conclusões: eles manipulam a boa fé das pessoas, o patriotismo, paixões e confundem a cidadania.

É o seguinte:

Somos uma jovem nação. Não temos ainda uma identidade nacional firme, onde a pessoa não gagueja quando perguntado:

“Qual é a sua nacionalidade?”. Alguns vão responder: “sou alemão”, “italiano”, “polonês”, e por aí vai… sinal que muitos ainda não se sentem “Brasileiros”.

A nacionalidade é construída encima de identidades comuns como: língua, cultura, história e uma sensação de pertencimento ao território. O que forma uma nação.

O futebol, a Seleção Brasileira e sua camisa amarela tem sido usada por grupos políticos como símbolo de um falso patriotismo. Poucos sabem, mas a camiseta do time oficial é propriedade de uma entidade privada chamada Confederação Brasileira de Futebol, mais conhecida como CBF, que é eleita por cartolas das federações estaduais.

A poderosa CBF alugou há anos a camisa amarela oficial pra não menos poderosa multinacional americana Nike. Ninguém mais pode reproduzi-la. Então não é do povo!

Voltemos ao escândalo Fifa:

O americano Federal Bureau of Investigation, mais conhecido como FBI, prendeu com a polícia da Suíça, diversos dirigentes da Fifa, entre eles o ex-governador de São Paulo, ex-presidente da CBF nos últimos anos, realizador da Copa do Mundo 2014 no Brasil e político servidor da ditadura militar, opositor à eleição da Presidente da República, o senhor José Maria Marin: vergonha pro país do futebol.

Os tentáculos da investigação, como diz a Secretária do Departamento de Justiça dos EUA, “… vão longe e estamos só no começo”.

O FBI aponta que direitos de transmissão pela televisão e publicidades em eventos do futebol, são uma fonte milionária de propinas, corrupção e lavagem de dinheiro.

O assustador disso, é que o ex-dirigente da CBF Ricardo Teixeira: auto-exilado em Miami, Estados Unidos, já está colocando à venda seus bens por lá e vai tentar se proteger em outro lugar. Talvez aqui no Brasil mesmo, com apoio da mídia cúmplice.

O atual poderoso presidente da CBF Marco Del Nero, se mandou de volta pro Brasil no dia seguinte das prisões na Suíça. Sequer participou das eleições pra reeleger pro quinto mandato o atual presidente na FIFA. Ficou com medo e voltou pro Brasil, aqui se acha seguro, esse tipo de gente não vai preso, especialmente porque o FBI americano não pode fazer isto no Brasil.

O FBI escancara a podridão da nossa mídia: a poderosa Rede Globo de Televisão, seus sócios como a Traffic, empresa de ‘marketing esportivo’.

Então vejamos:

A mídia conservadora do Brasil é controlada pela Rede Globo de TV, dona do jornal O Globo e da revista semanal Época. Nossas TV por assinatura são quase todas controladas pela Globo. Sem falar que são sócios da gigante multinacional Sky. Ou seja: “Tá tudo dominado!”.

Vestiram milhares de pessoas com a camiseta da CBF, os manipularam e os levaram para as ruas do país e os fizeram gritar “Abaixo a Corrupção!”.

O motivo é simples:

A seleção de futebol e o candidato do PSDB perderam suas disputas, então a mídia conservadora busca derrubar a presidente eleita pelo voto popular.

Então? Usar a camisa da corrupta CBF, grife exclusiva da corruptora Nike, é sinônimo de patriotismo?

Não! … para provar que sou um brasileiro patriota que ama o Brasil, não necessito vestir (nem devo) a camisa amarela deles.

Patriota não precisa de grife, não tem cor nas roupas, não é manipulado por uma tela de TV ou revistas semanais desesperadas com os cortes oficiais de publicidade, só precisa praticar sua cidadania com liberdade e responsabilidade social.

E a cidadania?

Ela é praticada no dia a dia. No trabalho, nas vilas, comunidades e cidades. É o cuidado com o bem público, com a civilidade, com a solidariedade e fraternidades com o cidadão menos afortunado. É uma atitude silenciosa, sem holofotes, sem cobrança financeira ou interesses políticos ou de reconhecimento por simples vaidade pessoal.

Um país se constrói com os pequenos gestos de cidadania, que é uma doação individual em prol do coletivo e com a inclusão social do mais necessitado e combatendo as desigualdades que nossa história gerou. E assim, vai se construindo uma verdadeira nação.

Vestir uma camisa amarela da CBF com a grife da Nike?… quem quiser pagar e enviar dólares à matriz da empresa americana que o faça. Se comprar de um camelô uma camiseta pirata estará corrompendo.

Então aconselho: não saia às ruas vestido de CBF gritando furiosamente “Abaixo a Corrupção”, é uma prova de alienação política e manipulação.

Viva o povo Brasileiro!

É a Minha Opinião.

 

 

Leia também
Comentários
Carregando...