Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Antonina: procurador e chefe de divisão são denunciados por corrupção e tráfico de influência

A 1ª Promotoria de Justiça de Antonina denunciou o procurador-geral do Município, Fabrício de Souza, e a chefe da Divisão Tributária da prefeitura, Karolina de Souza Cardoso, pelos crimes de corrupção e de tráfico de influência.

As irregularidades teriam ocorrido no período em que a segunda denunciada era funcionária do Cartório Cível do Fórum de Antonina.

De acordo com a Promotoria, na qualidade de procurador do Município, o denunciado não poderia exercer a advocacia. Mas, segundo a Promotoria de Justiça, ele não apenas infringiu essa regra como, em parceria com a então funcionária do cartório, captou irregularmente clientes e manipulou processos nos quais atuava como representante do Município. Um dos casos relatados na denúncia envolveu a adoção de uma criança por um casal, que contratou o procurador como advogado para cuidar dos trâmites legais.

Além disso, durante as investigações, realizadas no âmbito da “Operação Barreado”, que investiga irregularidades na condução de ações e no pagamento de indenizações a pescadores prejudicados por acidentes ambientais, foram apreendidos diversos documentos na casa da denunciada, inclusive processos desaparecidos havia anos.

Pontal 40 milhões

Na denúncia apresentada, a Promotoria de Justiça requereu cautelarmente o afastamento imediato dos denunciados dos cargos públicos que ocupam no Município. Karolina está presa na Polícia Federal desde a semana passada, quando foram decretadas a prisão de oito pessoas, entre eles advogados de escritório Bahr, Neves e Mello.

Advogados se entregam

Dois dos quatro advogados acusados de aplicarem golpe em pescadores se entregaram à polícia nesta quarta-feira (18). A informação é do G1 e da RPC TV.

Fabiano Neves e Saulo Bonat de Melo se entregaram nesta tarde à polícia. Outros dois advogados, Heroldes Bahr Neto e Kleber Vieira, continuam foragidos. da ação do Ministério Público, com apoio da Polícia Federal, na semana passada, chamada de Operação Barreado.

Segundo o Ministério Público Estadual, os advogados Fabiano Neves Nacieywski, Heroldes Bahr Neto e Saulo Bonat de Mello eram os líderes do esquema no cartório de Antonina.

Leia também

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More