Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Confira como (e com quem) ficaram os partidos em Guaratuba

No dia 4 de abril, encerrou o prazo para os interessados em concorrer às eleições deste ano estarem filiados nos partidos. Termina nesta data uma disputa de bastidores que será decisiva tanto para vereador quanto para prefeito.

Com o fim da coligação proporcional, que só neste ano é colocada em prática, a montagem das chapas de cada partido tem um peso grande sobre o resultado do pleito. Ou seja, dois ou mais partidos não podem juntar seus candidatos a vereador e somar votos na divisão das 13 vagas em disputa na Câmara de Vereadores de Guaratuba; quem tiver a melhor chapa, o grupo de candidatos mais forte e equilibrado, sai na frente.

Em relação à eleição majoritária, para prefeito, só as convenções partidárias vão oficializar os apoios, mas as listas de filiados já podem dar um panorama do quadro eleitoral em Guaratuba.

Para onde foram os vereadores

A lista oficial dos filiados só será conhecida publicamente quando a Justiça Eleitoral atualizar os seus dados no sistema, logo depois de decorrido o prazo para correções de eventuais duplas filiações ou falta de documentos. Levantamento feito pelo Jornal de Guaratuba e pelo Correio do Litoral revela como está o quadro, extraoficialmente.

As informações revelam para onde foi, ou ficou, cada vereador e com quais partidos cada um dos pré-candidatos a prefeito poderá contar. Além dos atuais vereadores, verificamos diversos nomes com potencial para ocupar uma cadeira na Câmara a partir de 2021, mas não os citaremos, por não existirem critérios objetivos, como pesquisas, por exemplo. Futuramente poderemos ampliar a análise das chapas partidárias, incluindo os nomes de ex-vereadores, candidatos bem votados em outras eleições e figuras populares.

Confira:

Na maior bancada da Câmara, o Democratas, não houve mudanças. Permaneceram os vereadores Alex Antun, Gabriel da Ganusa, Mordecai de Oliveira e Vilson Linho. No PT permaneceu a vereadora Paulina Muniz. Foram os únicos que não tiveram mudanças.

No Pros, permaneceu Sergio Braga e entrou Nei Stoqueiro (até então sem partido). No Cidadania continuou Donizete Pinheiro e entrou Itamar Junior (ex-PSB). No MDB, saiu Claudio Nazário e entrou Laudi Tato (ex-PSDB).

Dois partidos não tinham nenhum vereador e agora somam três nomes. No PSC entraram Claudio Nazario (ex-MDB) e Maria do Neno (ex-PSB). No PP entrou Paulo Araújo (ex-PSDB).

As bases de cada pré-candidato a prefeito

As convenções que vão definir os candidatos a vereador e a prefeito e definir as coligações majoritárias (grupo de partidos que apoiam determinado candidato a prefeito) estão marcadas para acontecer entre 20 de julho e 5 de agosto. Com base nos nomes e nas lideranças, já é possível traçar um cenário possível. Além dos partidos que têm vereadores citados acima, vimos outros, com informações dos partidos e outras fontes.

Fora os partidos que tem pré-candidatos a prefeito já anunciados, o PT montou uma chapa de candidatos a vereador, mas ainda não definiu se terá candidato próprio, vai apoiar outro partido ou se fará uma campanha sem candidato majoritário.

Roberto Justus – Além do seu partido, o Democratas, o candidato à reeleição deverá contar com mais quatro partidos: PSD, PSC, Pros e PP. Poderá contar com outros dois partidos na coligação majoritária, o PTB e o PL.

Maurício Lense – O ex-candidato a prefeito terá o seu partido, o Cidadania, e mais dois: o PSL e o Republicanos. Poderá ter o PSDB.

Beto Mendes – Contará com o MDB e o PDT.

Jonas Maciel – Conta, no momento, apenas com o seu partido, o Podemos.

Publicado no Jornal de Guaratuba nº 534, dia 11 de abril

Leia também
Comentários
Carregando...