Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Ventos trouxeram mais de 100 animais para as praias do Paraná

Durante a última semana, ventos fortes chegaram à costa do litoral do Paraná e com estes muitos encalhes de fauna marinha. Animais mortos e mesmo debilitados que estavam no mar foram trazidos à praia e encalharam ao longo de toda a orla.

Conforme relatou a coordenadora do Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR, Camila Domit, a equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) realizou mais de 100 registros entre os dias 9 e 13 de outubro, incluindo aves, tartarugas e mamíferos marinhos. “Os acionamentos realizados pelos usuários das praias intensificaram devido ao movimento no litoral durante o feriado, mas é importante ressaltar que o registro de encalhes já estava mais alto ao longo desta semana em nossa região”, explica a pesquisadora.

Conforme relatado por Camila Domit, além de uma quantidade grande de animais, os encalhes também foram bastante diversos ao longo da semana, incluindo aves migratórias vindas do hemisfério norte, como o bobo-pequeno (Puffinus puffinus), migratória do hemisfério sul, como o pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus), e mesmo o registro das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem na costa brasileira: tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-oliva, tartaruga-de-pente e tartaruga-de-couro.

A equipe do PMP-BS na UFPR esteve bastante atarefada em meio a monitoramentos, resgates, necropsias, coletas de amostras e muitas outras ações que são essenciais para garantir que todos os animais sejam registrados, atendimentos e avaliados, gerando bem estar e uma chance de reabilitação aos animais registrados vivos, ou mesmo obtendo o melhor conhecimento sobre a saúde do oceano e sua biodiversidade por meio das carcaças encontradas mortas.

Para que os resultados do projeto e a sua contribuição para a gestão e conservação da fauna marinha sejam ainda melhores, a contribuição da sociedade por meio dos acionamentos é muito importante (0800 642 3341). “No entanto, também devemos lembrar que ainda estamos vivenciando um período de pandemia, então, cuidem-se, evitem aglomeração e usem máscaras, assim protegemos a saúde da fauna e de todos nós”, salienta o Laboratório de Ecologia e Conservação.

Fonte e fotos: LEC UFPR

Leia também
Comentários
Carregando...