Correio do Litoral
Notícias do Litoral do Paraná

Matinhos cria cadastro para evitar turismo da vacina

Depois da polêmica da exigência de título de eleitor para vacinar contra a covid-19, a Prefeitura de Matinhos encontrou uma forma de atender apenas os moradores com as doses limitadas que recebe e conseguir evitar o turismo da vacina.

A Secretaria Municipal da Saúde vai cadastrar as pessoas que não possuem domicílio eleitoral, mas que efetivamente moram na cidade e querem receber a imunização.

No início da semana, a secretaria percebeu um grande número de pessoas de fora nas filas da vacina. Enquanto Curitiba estava imunizando as pessoas a partir dos 54 anos, Matinhos, que tem aproximadamente 35 mil habitantes (IBGE), já estava aplicando a vacina para a faixa dos 35 anos de idade. Outras cidades do Litoral também estão adiantadas: Antonina, Guaraqueçaba, Paranaguá e Pontal do Paraná.

Na terça-feira (15), o secretário municipal de Saúde, Paulo Henrique de Oliveira, teve de vir a público explicar o motivo de ser exigido o título eleitoral e disse que a medida era temporária (vídeo).

A partir de hoje (sexta-feira, 18), uma força-tarefa vai receber os comprovantes de residência. A estrutura será montada na Arena Vicente Gurski, das 9h às 17h, até a sexta-feira da semana que vem, dia 25.

As pessoas que possuem domicílio eleitoral (título de eleitor) em Matinhos, não precisam fazer nenhum cadastro. A vacinação da segunda dose continua normal e não necessita de cadastramento.

Serão considerados comprovantes de moradia na cidade de Matinhos, as seguintes situações:

  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)
  • Matrícula em qualquer estabelecimento de ensino no município – pode ser dos filhos.
  • Cadastro em qualquer programa social da Secretaria Municipal de Assistência Social.
  • Contrato de aluguel, registrado em Cartório, anterior há 6 meses.

Nos casos em contratos de locação em nomes de terceiros, será exigida a comprovação do vínculo ao titular, como certidão de casamento, para o caso de cônjuges.

Demais comprovantes de endereço, como faturas de água e energia elétrica, continuam não sendo aceitos para comprovação da qualidade de moradia – não eram aceitos nas barreiras que só permitam a entrada de moradores. De acordo com a Secretaria da Saúde, esta medida (não aceitar as faturas) “foi tomada pelo corpo técnico da equipe epidemiológica para assegurar que não sejam aplicadas doses em pessoas que moram em outras cidades do Estado, e se utilizavam da condição ter de comprovante de endereço de propriedades de veraneio para se passarem por moradores, em detrimento dos matinhenses, que serão priorizados neste momento”.

Apesar das exigências, a prefeitura afirma que ninguém será impedido de receber vacinas. “Contudo, é indispensável que façamos a priorização das pessoas que moram em Matinhos, para que se garanta o avanço da taxa de cobertura de imunização no município, fazendo com que mais pessoas sejam protegidas, de forma indireta e coletiva”.

A prefeitura também informa que novas medidas de restrição serão adotadas por decretos municipais, tanto para a suspensão do atendimento presencial nas repartições públicas, quanto na circulação de pessoas nos finais de semana.

Para dúvidas acesse o WhatsApp para (41) 3971-6032 / 3971-6131.

Leia também
Comentários
Carregando...